Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Publicidade
Publicidade
✆ 93 9 9211 0226
WhatsApp
WhatsApp

quarta-feira, 6 de outubro de 2021

Itaituba: Vereadores participam de reunião sobre criação do estado do Tapajós

O tema voltou a ser discutido no senado.

Foto:  João Ram (Divulgação)
Desde a noite do último domingo (03), vereadores paraenses estão participando de reuniões no Senado Federal para debater o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 508/2019, que convoca plebiscito sobre a criação do Estado do Tapajós, que está na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal (CCJ).

Uma caravana com representantes da região, se reuniu na manhã de terça-feira (05), com os 27 senadores (as) da CCJ, a fim de conseguir os votos necessários para aprovação da matéria. 

Representando Itaituba, os vereadores Rangel Moraes, Thiago Maciel e a vereadora Antônia Borroló, estiveram no gabinete do senador Plínio Valério que é o relator da comissão, onde o mesmo emitiu parecer favorável à criação do estado do Tapajós.

Alter do Chão - Santarém. Foto: Reprodução
Em 2011, um plebiscito (é quando uma matéria é apresentada para consulta popular antes que o Congresso elabore um projeto de lei) foi convocado para que a população paraense decidisse pela divisão do Pará, e criação de outros dois estados: Carajás, com capital em Marabá e Tapajós, com capital em Santarém. Os paraenses foram às urnas e decidiram pela não divisão do Estado.

Em 2019, foi aberta uma nova consulta pública no site do Senado. Segundo a apuração, 4.605 mil votos foram favoráveis a criação do Estado. Já 903 votos foram contra.

Para Jean Carlos Leitão, presidente do Instituto Cidadão Pró-Estado do Tapajós (ICPET), a região Oeste do Pará é esquecida pelo poder público e a divisão traria benefícios.

"Aqueles que defendem a criação do estado justificam pelo tamanho do Pará que é maior que 170 dos 193 países do mundo além de ser duas vezes e meio maior que a região Sul e que a região Sudeste. É uma região esquecida com infraestrutura que mostra o abandono e têm pessoas que viajam dias e noites de barco em barco apenas pra fazer uma tarefa simples como ir a um cartório, e também a emancipação significa desenvolvimento para o novo estado e benefícios para o Pará como um todo", ressalta Jean.

Foto: Reprodução

On News/ Roma News


Nenhum comentário

Postar um comentário

Publicidade

Responsive Full Width Ad