Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Publicidade
Publicidade
✆ 93 9 9211 0226
WhatsApp
WhatsApp

Mostrando postagens com marcador Comportamento. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Comportamento. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Dólar cai abaixo de R$ 3,90, após 5 altas seguidas e com atuação do BC

Banco Central anunciou que fará leilão de US$ 2 bilhões nesta terça. Na véspera, dólar fechou em alta de 2,51%, a R$ 3,9176, acumulando 5 sessões seguidas de valorização. O dólar é negociado em queda nesta terça-feira (27), após uma sequência de 5 altas seguidas, e com atuação do Banco Central para tentar acalmar o mercado em meio a um cenário externo mais turbulento. Às 12h13, a moeda dos EUA caía 0,8%, cotada a R$ 3,8862 . Na mínima do dia até o momento, o dólar chegou a R$ 3,8757. Já o dólar turismo era negociado a R$ 4,06, sem considerar o IOF (tributo). Veja mais cotações.

Dólar cai abaixo de R$ 3,90, após 5 altas seguidas e com atuação do BC

Na véspera, o dólar fechou em alta de 2,51%, a R$ 3,9176, maior patamar fechamento desde 2 de outubro (R$ 3,9333). Segundo a agência Reuters, foi a maior alta percentual desde 14 de junho, o que levou o Banco Central a anunciar uma intervenção no câmbio.

O BC irá ofertar nesta terça US$ 2 bilhões em operações de venda de moeda com compromisso de recompra, os chamados leilões de linha, com o objetivo de prover liquidez ao mercado. São operações novas que se somam aos leilões de rolagem de contratos de swap cambial tradicional (equivalente à venda futura de dólares).

O Banco Central também realiza nesta sessão leilão de até 13,6 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de dezembro, no total de US$ 12,217 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Alta de 4,75% em 5 sessões

Somente em 5 sessões, o dólar acumulou valorização de 4,75% ante o real. Na parcial do mês, a alta é de 5,24%. No ano, o avanço é de 18,23%. A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 permanece em R$ 3,70 por dólar, segundo última pesquisa Focus do Banco Central divulgada na véspera. Para o fechamento de 2019, subiu de R$ 3,76 para R$ 3,78 por dólar.

O que explica as últimas altas

A alta do dólar tem sido influenciada por um cenário internacional mais turbulento, por um fluxo de saída de recursos em ambiente de aversão ao risco no exterior e cautela com o cenário político local. Os investidores estão cautelosos com o encontro entre os presidentes norte-americano, Donald Trump, e chinês, Xi Jinping, no G20 no final de semana, as perspectivas de menor crescimento econômico mundial e ainda as negociações políticas locais.

Nesta terça, o cenário externo continuava adverso, depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou esperar seguir em frente com o aumento de tarifas sobre US$ 200 bilhões em importações chinesas, o que jogou um balde de água fria sobre o otimismo vigente diante do encontro dele com o presidente da China, Xi Jinping no G20, no final da semana.

Nesta quinta-feira, o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) divulga a ata de seu último encontro de política monetária. A expectativa sobre a trajetória dos juros norte-americano tem permeado os negócios, com os temores de enfraquecimento da economia global reforçando a leitura de que o Fed poderia ser mais suave nos aumentos da taxa. A previsão, por ora, é de mais cinco aumentos até o início de 2020, sendo dezembro o quarto deste ano.

Educação Financeira: Como o sobe e desce do dólar influencia minha vida? Com o juro mais alto nos EUA e estável no Brasil – a pesquisa Focus desta segunda-feira trouxe perspectiva menor para a alta da Selic em 2019 –, o diferencial de juros entre os países também ajuda a sustentar a trajetória de alta da moeda ante o real.

Internamente, as atenções seguem voltadas para a equipe do novo governo e, especificamente nesta sessão, à votação do projeto de lei de cessão onerosa no Senado, já adiada anteriormente, e que pode ajudar o novo governo a fazer o ajuste fiscal.

Por G1

PM é morto a tiros em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense

Major estava em seu carro no bairro Jardim Esplanada quando foi atingido por tiros de fuzil, disparados por criminosos encapuzados. Ele é o 87º PM morto este ano no estado. Um major da Polícia Militar foi morto a tiros na manhã desta terça-feira (27) no bairro Jardim Esplanada, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Alan de Luna Freire, de 40 anos, estava dentro do carro particular quando foi baleado.

PM é morto a tiros em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense

De acordo com a PM, a vítima dirigia seu carro perto de onde mora, por volta das 8h30, quando criminosos encapuzados e armados com fuzis atiraram várias vezes contra o veículo. O policial morreu no local. O PM era lotado no 17ºBPM (Ilha do Governador) e estava na corporação há 17 anos. Alan Freire deixou esposa e um filho de três anos. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense investiga o caso.


PM é morto a tiros em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense

O oficial é o 87ºPM morto no Estado do Rio este ano. O último caso registrado antes desse foi há dois dias, quando o policial Claudio Campello Marazzo foi assassinado após tentativa de assalto no bairro Engenheiro Leal, na Zona norte do Rio.

Por G1 Rio

ONG pede à Argentina que investigue príncipe saudita por Iêmen e caso Khashoggi

Príncipe Mohammed participará da abertura da cúpula do G20 nesta semana em Buenos Aires. A Human Rights Watch pediu à Argentina que recorra a uma cláusula de crimes de guerra de sua Constituição para investigar o papel do príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, em possíveis crimes contra a humanidade no Iêmen e o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

ONG pede à Argentina que investigue príncipe saudita por Iêmen e caso Khashoggi

A diretora da HRW para o Oriente Médio e o norte da África, Sarah Leah Whitson, disse que o grupo internacional de direitos humanos levou o caso à Argentina porque o príncipe Mohammed, também conhecido como MbS, participará da abertura da cúpula do G20 nesta semana em Buenos Aires.

A Constituição argentina reconhece a jurisdição universal para crimes de guerra e tortura, o que significa que as autoridades judiciais podem investigar e processar estes crimes não importa onde tenham sido cometidos. A Human Rights Watch disse que o pedido foi enviado ao juiz federal Ariel Lijo. Nem o escritório de Lijo nem a procuradoria-geral da Argentina responderam a pedidos de comentário feitos pela agência Reuters.

Jurisdição universal

"Submetemos esta informação a procuradores argentinos com a esperança de que investigarão a cumplicidade e a responsabilidade de MbS em possíveis crimes de guerra no Iêmen, além da tortura de civis, inclusive Jamal Khashoggi", disse Sarah à Reuters.

A mídia argentina citou fontes judiciais segundo as quais é extremamente improvável que as autoridades assumam um caso contra o príncipe herdeiro, o governante de fato da Arábia Saudita. Casos baseados na jurisdição universal já tiveram sucesso antes. Em 1998, o juiz espanhol Baltasar Garzón conseguiu ordenar a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet em Londres.

Caso Khashoggi e guerra no Iêmen

O assassinato de Khashoggi, colunista do jornal "Washington Post" e crítico do príncipe herdeiro, no consulado saudita em Istambul seis semanas atrás provocou tensão nos laços de Riad com o Ocidente e abalou a imagem do príncipe no exterior. Nações ocidentais também estão pedindo o fim da campanha militar liderada pelos sauditas no vizinho Iêmen, que foi iniciada por MbS, à medida que a crise humanitária do país está se agravando.

Por Reuters

Apostador de Indaiatuba que ganhou R$ 69,1 milhões na Mega-Sena retira prêmio

Segundo a instituição, ele compareceu na tarde de segunda-feira em uma das agências da Região Metropolitana de Campinas. Sorteio aconteceu no sábado. O apostador de Indaiatuba (SP) que ganhou sozinho R$ 69.186.484,11 do concurso 2.100 da Mega-Sena retirou o prêmio. De acordo com a Caixa, ele compareceu, na tarde de segunda-feira (26), em uma das agências do banco público da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

Apostador de Indaiatuba que ganhou R$ 69,1 milhões na Mega-Sena retira prêmio

A instituição informou que o vencedor fez apenas uma aposta simples na lotéria "Premiada de Indaiatuba", no Jardim São Conrado. O sorteio ocorreu na noite de sábado (24), em Campos Belos (GO). Dezenas sorteadas foram 01,10, 11, 13, 35 e 49. De acordo com a Caixa, a probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prémio é de 1 a 50.063.860, segundo o banco.

Por G1 Campinas e Região

Polícia estima que R$ 100 milhões foram roubados após assalto a agência bancária em Bacabal

Investigação aponta que o chefe da quadrilha responsável pelo assalto foi identificado como 'Zé de Lessa'. Na ação, quatro pessoas morreram, uma ficou ferida e duas foram detidas. A Polícia Civil do Maranhão disse na manhã desta terça-feira (27) que a quadrilha que assaltou uma agência bancária na cidade de Bacabal no domingo (25), trocou tiros com policiais e incendiou viaturas pode ter conseguido roubar cerca de R$ 100 milhões do local. Ainda de acordo com a polícia, desse montante, R$ 3 milhões já foram recuperados.

Polícia estima que R$ 100 milhões foram roubados após assalto a agência bancária em Bacabal

Na ação, quatro pessoas morreram: três assaltantes e um morador da cidade. Outro morador também foi atingido por disparos e segue em recuperação. Duas pessoas foram flagradas pela Polícia Militar dentro da agência recolhendo as cédulas deixadas pelos bandidos e foram detidas.

A investigação aponta que o chefe da quadrilha responsável pelo assalto chama José Francisco Lumes, mais conhecido como “Zé de Lessa”. Ainda segundo a polícia, ele estava comandando pessoalmente a ação da quadrilha no município. De acordo com a polícia, “Zé de Lessa” é bastante conhecido por crimes em todo o país, especialmente por roubos a banco. Natural do estado da Bahia, “Zé de Lessa” já fez assalto a instituições financeiras, foi preso algumas vezes e a última vez que saiu da prisão foi para terminar de cumprir a pena no regime domiciliar.

Polícia estima que R$ 100 milhões foram roubados após assalto a agência bancária em Bacabal

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão informou que foram deslocadas várias equipes das Polícias Civil e Militar para o município e cidades vizinhas. A polícia informou ainda que está estudando a conexão dos envolvidos com quadrilhas de outros estados.

Por G1 MA, São Luís

Dodge opina pela aprovação com ressalvas das contas de campanha de Jair Bolsonaro

Para PGR, inconsistências encontradas na prestação de contas não comprometem a regularidade da declaração. Julgamento das contas deve ocorrer no dia 4 de dezembro. A procuradora-geral Eleitoral, Raquel Dodge, opinou pela aprovação com ressalvas das contas de campanha da chapa composta por Jair Bolsonaro (PSL) e Hamilton Mourão (PRTB) às eleições presidenciais de 2018. 

O parecer foi enviado na segunda-feira (26) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e divulgado nesta terça (27). A diplomação de Bolsonaro está marcada para o dia 10 de dezembro. Para que isso ocorra, o TSE precisa julgar as contas antes disso. A previsão é de que o caso seja analisado pelos ministros no próximo dia 4 de dezembro.

Dodge opina pela aprovação com ressalvas das contas de campanha de Jair Bolsonaro

No último sábado, a área técnica do tribunal recomendou a aprovação com ressalvas das contas. O relator do caso, ministro Luís Roberto Barroso, enviou o parecer para a PGR e solicitou manifestação sobre o processo. Em seu parecer, a PGR afirma que foram constatadas irregularidades no valor de R$ 171 mil nas contas, o que representa 3,9% do total de gastos. Dodge ressalta no documento que a área técnica do TSE afirmou que as inconsistências encontradas não comprometem a regularidade das contas.

Os candidatos informaram ao TSE terem arrecadado R$ 4.390.140,36. Já o total de gastos declarados foi de R$ 2.456.215,03. Na análise técnica, foram apontadas irregularidades de R$ 113,2 mil nas receitas e de R$ 58,3 mil no total de gastos. Para Dodge, houve boa-fé por parte dos candidatos, com a preservação do “princípio da transparência e do controle social quanto à identificação dos doadores”. Ela diz ainda que as inconsistências têm natureza formal e não comprometem a confiabilidade das contas prestadas.

Sobre a possível existência de doadores desempregados, de doadores funcionários de uma mesma empresa privada e de doadores falecidos, a Procuradoria afirma que “tais indícios poderão ensejar apuração nas instâncias adequadas” e que os dados serão encaminhados a promotores para eventual investigação.

Em nota enviada no último sábado, a advogada Karina Kufa, responsável pelas contas eleitorais de Bolsonaro, disse que o parecer final está de acordo com o que esperava. "Realmente acredito na aprovação pelos ministros sem ressalvas, dada a suficiente fundamentação nos três pontos em questão. As receitas e despesas foram acompanhadas com muito zelo, estando impecável a prestação das contas", disse.

Por Rosanne D'Agostino
G1, Brasília

Publicidade

Responsive Full Width Ad