Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Publicidade
Publicidade
✆ 93 9 9211 0226
WhatsApp
WhatsApp

Mostrando postagens com marcador Economia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Economia. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

PF descobre desvios de R$ 1,1 milhão em obra do prédio da PRF em PVH

Dez mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos nesta quinta-feira (8) em dois estados através da operação “Pare e Siga”, deflagrada pela Polícia Federal (PF) para investigar desvios financeiros na construção da nova sede da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Rondônia. Os mandados são cumpridos em Porto Velho, Ji-Paraná (RO) e Manaus.

PF descobre desvios de R$ 1,1 milhão em obra do prédio da PRF em PVH

Os desvios apurados até agora, segundo a PF, chegam a R$ 1,1 milhão e a obra deve ficar R$ 14 milhões mais cara do que o previsto. Também há suspeitas de irregularidades na contratação de uma nova empresa para realizar o levantamento do que falta ser executado na construção.

A operação é realizada em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF). A Justiça Federal também determinou o afastamento cautelar do cargo do atual superintendente regional da PRF de Rondônia, Bruno Ferreira Malheiros, além do bloqueio e sequestro de bens e o afastamento do sigilo bancário de envolvidos.

Assessoria
Da Redação

Rondônia doa 6 toneladas de peixe para Festival Tambaqui da Amazônia em Brasília

Cerca de 6 toneladas de peixe assado serão distribuídas durante o Festival Tambaqui da Amazônia, nesta quarta-feira (7), em frente ao Ministério da Agricultura, em Brasília. Para receber o peixe, é necessário doar um quilo de alimento não perecível. A distribuição começa às 12h.

Rondônia doa 6 toneladas de peixe para Festival Tambaqui da Amazônia em Brasília

A iniciativa é uma parceria entre o Governo do Distrito Federal (GDF), o governo de Rondônia (RO), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e a Secretaria Nacional da Pesca. O peixe foi doado pela Associação de Criadores de Peixes do Estado de Rondônia (Acripar) e veio em um caminhão frigorífico. Ao todo, serão servidas quatro mil bandas do pescado, dizem os organizadores.

Segundo o Ministério da Agricultura, a ideia surgiu do “Churrasco de Tambaqui”, evento realizado há três anos em Ariquemes, em Rondônia. O GDF afirma que o objetivo da ação é promover o consumo do tambaqui junto à população do Distrito Federal. Segundo o Executivo local, a aquicultura é uma atividade relativamente recente na região, mas que vem apresentando taxas de crescimento significativas.

Em 2001, havia 214 criadores de peixes no DF. No ano passado, esse número já havia saltado para 594. Ao todo, é produzida, em média, 1,5 tonelada de pescados na aquicultura local.

Serviço
Festival Tambaqui da Amazônia

Data: 7 de agosto
Horário: 12h
Local: Em frente ao Ministério da Agricultura, na Esplanada dos Ministérios

quinta-feira, 21 de março de 2019

Força-tarefa da Lava acaba de prender Michel Temer e faz buscas por Moreira Franco

Mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da Justiça Federal do Rio de Janeiro. A Força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta quinta-feira (21), Michel Temer, ex-presidente da República. Os agentes ainda tentam cumprir um mandado contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia.


Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Desde quarta-feira (20), a Polícia Federal (PF) tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou.

Por Arthur Guimarães, Paulo Renato Soares e Marco Antônio Martins, TV Globo e G1 Rio


quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Grêmio anuncia a renovação de Renato Gaúcho para 2019

Mesmo após interesse do Flamengo, treinador entra em acordo para seguir no tricolor gaúcho para a próxima temporada – a sua terceira no clube. Após longos dias de conversas, especulações e apreensão, a novela sobre o futuro de Renato Gaúcho encerrou. E com final feliz aos gremistas, logo no dia em que festejam o aniversário de um ano do tri da América. Nesta quinta-feira, o Grêmio acertou a permanência do treinador para comandar a equipe em 2019.

Grêmio anuncia a renovação de Renato Gaúcho para 2019

O acordo foi selado em uma reunião entre o presidente Romildo Bolzan e o treinador à tarde, no CT Luiz Carvalho. Mais cedo, o representante do treinador, Gerson Oldenburg, o Gauchinho, se reuniu com o CEO Carlos Amodeo. A informação foi publicada pelo site Gaúcha ZH e confirmada pelo GloboEsporte.com.

Logo após o acerto, o presidente concedeu entrevista coletiva no CT. Sorridente, Bolzan afirmou que a permanência era um desejo "recíproco" e já serve para dar início ao planejamento de 2019. Além de Renato, a diretoria se mantém com Duda Kroeff como vice de futebol, Deco Nascimento como diretor e André Zanotta como executivo.

Grêmio anuncia a renovação de Renato Gaúcho para 2019

– Chegamos a um acordo de renovação por mais um ano. (Renato) Vai dar continuidade ao trabalho, era um objetivo, um desejo recíproco. E já damos início ao planejamento do ano que vem. Damos uma resposta à torcida, um projeto de continuidade, de um grupo vencedor. Vamos com a mesma direção e mesma comissão técnica com a mesma perspectiva de conquistar mais títulos – disse o presidente.

Investida do Flamengo

O acerto põe fim à movimentação do Flamengo nos bastidores para tentar a contratação do técnico. Conforme apurou o GloboEsporte.com, os dois principais candidatos à presidência do Rubro-Negro, Ricardo Lomba e Rodolfo Landim, tinham um certo alinhavado com o ídolo gremista para 2019. Prevaleceu a proposta do Grêmio.

Ídolo autor dos dois gols do Mundial, em 1983, Renato retornou ao clube para sua terceira passagem como técnico em setembro de 2016. De lá para cá, o treinador conduziu o Grêmio a uma era dourada de conquistas. Logo no primeiro ano, os gremistas festejaram o fim do jejum de 15 anos sem títulos nacionais com o penta da Copa do Brasil. Em 2017, o Grêmio alcançou a glória máxima sob o comando do treinador com a conquista do tri da Libertadores. O ciclo de taças prosseguiu com mais duas em 2018: a Recopa Sul-Americana e o Campeonato Gaúcho.

Bem antes de viver 2019, Renato tem um último compromisso pelo Grêmio neste domingo, às 17h, contra o Corinthians, na Arena, pela 38ª rodada do Brasileirão. A partida vale muito: o time gaúcho precisa de uma vitória para garantir a quarta colocação e a vaga direta na fase de grupos da Libertadores.

Por Eduardo Moura — Porto Alegre

Santos e Flamengo disputam Abel após "sim" de Renato ao Grêmio; ficar no Rio seduz técnico

Presidente do Santos viaja ao Rio de Janeiro para tentar vencer concorrência pesada do Flamengo, que agora tem em Abel seu favorito. A permanência de Renato Gaúcho no Grêmio frustrou os planos do Flamengo e gerou uma grande preocupação para o Santos. É que sem seu plano A para assumir o comando do time na próxima temporada, a diretoria do Fla agora volta as atenções para a contratação de Abel Braga, o favorito do Santos para substituir Cuca em 2019.

Abel Braga, agora, virou o principal objetivo de Flamengo e Santos. Pessoas próximas afirmam que o treinador está entusiasmado com a possibilidade de comandar o Rubro-Negro e permanecer no Rio de Janeiro.

Santos e Flamengo disputam Abel após "sim" de Renato ao Grêmio; ficar no Rio seduz técnico

Nos bastidores, o Santos “torcia” para Renato Gaúcho acertar com o Flamengo para ter caminho livre para negociar com Abel Braga. O presidente do Peixe, José Carlos Peres, viajou ao Rio de Janeiro na manhã desta quinta-feira para iniciar as tratativas. Os dois principais candidatos à presidência do Flamengo, Ricardo Lomba e Rodolfo Landim (a eleição será no dia 8 de dezembro) mantiveram contatos paralelos com Renato Gaúcho e Abel. A permanência de Dorival Júnior está praticamente descartada.

Já o Santos, desde que soube da saída de Cuca por causa de problemas cardíacos, focou em Abel. Recentemente, o presidente Peres chegou a dizer que gostaria de contar com o treinador “para ontem”. O clube já havia tentado sua contratação em outros dois momentos de 2018:

No início do ano, Abel preferiu ficar no Fluminense;

Quando o Santos demitiu Jair Ventura, Abel disse que não assumiria nenhuma equipe durante a temporada.

– (Abel Braga) É um técnico top e que gosta do Santos. Tive duas negociações. Primeiro ele não quis abandonar o Fluminense, atitude de gente grande. Falei para ele na ocasião que (Santos) é uma "mini Rio de Janeiro". Ele falou que seria um prazer. Eu gostaria para ontem – afirmou Peres, que agora tentará vencer a concorrência pesada do Flamengo para ter o técnico de seus sonhos.

Por Gabriel dos Santos e Marcelo Baltar — São Paulo e Rio de Janeiro

Caso Daniel: Justiça decreta prisão preventiva de seis réus envolvidos na morte do jogador

Ao todo, sete pessoas foram denunciadas pela Justiça. Daniel foi morto na Região Metropolitana de Curitiba; corpo foi encontrado em 27 de outubro. A Justiça decretou nesta quinta-feira a prisão preventiva de seis suspeitos de envolvimento na morte do jogador Daniel. Eles estavam detidos de forma temporária. Na segunda-feira, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) havia pedido para que a prisão temporária deles, que era válida por 30 dias, fosse transformada em preventiva.

Caso Daniel: Justiça decreta prisão preventiva de seis réus envolvidos na morte do jogador

Daniel foi encontrado morto em São José dos Pinhais, na região netropolitana de Curitiba, no dia 27 de outubro. O órgão sexual dele foi mutilado.  Advogado da família Brittes questiona denúncia e diz que jogador 'gerou a tragédia'

Caso Daniel: Justiça decreta prisão preventiva de seis réus envolvidos na morte do jogador

O empresário Edison Brittes Júnior confessou ter matado Daniel. Brittes alegou que o jogador tentou estuprar Cristiana Brittes, esposa do empresário. Contudo, o delegado Amadeu Trevisan, responsáve pela investigação, afirmou que não houve tentativa de estupro.

Veja quem são os réus e os crimes imputados a eles

Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menor, fraude processual e coação no curso do processo;
Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;
Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de menor;
Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
David Willian da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;
Evellyn Brisola Perusso - denunciação caluniosa e falso testemunho

A defesa de Edson Brittes Júnior, Cristiana Rodrigues Brittes e Alana Brittes informou que o recebimento da denúncia é um ato processual de absoluta naturalidade. O advogado Robson Domacoski, responsável pela defesa de Ygor King e David Willian da Silva, afirmou que vai aguardar ter acesso aos documentos para se manifestar a respeito.

Rafael Torres, advogado de Evellyn Brisola Perusso disse que a defesa vai tomar todas as medidas cabíveis para provar que ela é inocente no caso. A defesa afirmou que vai apontar, em juizo, as falhas da denúncia. A defesa de Eduardo da Silva afirmou que não vai se manifestar sobre a aceitação da denúncia.

O crime

O crime aconteceu depois da festa de aniversário de 18 anos de Allana Brittes, filha de Cristiana e Edison Brittes. A comemoração começou em uma boate da capital paranaense na noite de 26 de outubro, uma sexta-feira. Depois, continuou na casa da família Brittes, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. Ali, Daniel começou a ser agredido, antes de ser levado ao matagal.

De acordo com o inquérito da polícia, Daniel foi agredido e morto após ter sido flagrado por Edison Brittes deitado na cama de Cristiana. Antes do crime, Daniel enviou mensagens e fotos a um amigo deitado ao lado de Cristiana enquanto a esposa de Edison Brittes dormia.

Os laudos

Conforme as perícias realizadas pelo Instituto Médico-Legal (IML) e pela Polícia Científica do Paraná, marcas de sangue na parede e no chão da casa dos Brittes mostram que Daniel foi espancado ainda dentro do quarto de Cristiana.

Os laudos mostraram também que as pessoas que estavam na casa tentaram limpar as marcas de sangue. Daniel foi levado, segundo depoimentos de testemunhas, para fora da casa e colocado no porta-malas do carro de Edison Brittes. O resultado da perícia encontrou marcas de sangue dentro do veículo.

O jogador foi esfaqueado, e o corpo do dele foi deixado em um matagal a 20 quilômetros da casa onde acontecia a festa, de acordo com a polícia. Conforme o IML, o corpo de Daniel foi carregado por mais de uma pessoa. Em depoimento, Ygor King e David Willian disseram que apenas Edison Brittes tinha saído do veículo e carregado o corpo do jogador até o matagal.

Por Carolina Wolf, G1 PR e RPC Curitiba  

Polícia recebe denúncia de tiros em festa, acha arsenal de armas e detém 2 policiais em Cuiabá

Polícia encontrou som alto, bebidas alcoólicas e mais de 10 armas em casa onde ocorria festa de aniversário. Cerca de 30 pessoas foram levadas à delegacia. Um policial militar, um policial civil e um ex-servidor foram detidos na madrugada desta quarta-feira (28) em uma casa na região do Córrego 8 de Abril, em Cuiabá.

A Polícia Militar foi chamada depois que recebeu denúncia de tiros no interior de uma festa que ocorria no local. Um arsenal de armas foi encontrado e os servidores acabaram detidos. Os servidores foram identificados como Nivaldo Evangelista da Costa Júnior, de 26 anos (policial militar), Fábio Rodrigo de Souza Ramos, de 41 anos (ex-servidor) e Andes de Melo Faria, de 43 anos (policial civil).

Polícia recebe denúncia de tiros em festa, acha arsenal de armas e detém 2 policiais em Cuiabá

A situação ocorreu por volta de 2h30 depois que moradores denunciaram que os participantes da festa faziam disparos no evento. Os policiais encontraram o portão entreaberto e viram pessoas circulando na festa. Algumas delas fizeram mais disparos assim que perceberam a presença dos policiais. Um reforço de equipes da Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) foi enviado para ajudar os policiais.

Os participantes da festa não queriam abrir o portão da casa, mesmo com a presença dos policiais. O local acabou arrombado e os participantes revistados. A festa era realizada com um som automotivo alto, segundo a polícia. O policial civil e o policial militar foram abordados e encontrados armados.

O proprietário da casa contou aos policiais que a festa era em comemoração ao aniversário dele e confirmou que fizeram disparos no local. Dentro da casa foram encontradas mais armas, sendo pistolas, revólveres e espingardas. Cerca de 30 pessoas, entre elas os policiais, foram conduzidas à Central de Flagrantes da Polícia Civil.

Outro lado

O G1 entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil, mas não teve retorno até a publicação da reportagem. A assessoria da Polícia Militar disse que o policial vai responder criminalmente na esfera civil e militar. Acrescentou também que a Corregedoria da PM, com as informações do caso, vai abrir um procedimento administrativo.

A Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT) disse que não vai se pronunciar no momento. Também declarou que o servidor não seria mais agente e que o contrato dele, no sistema socioeducativo, já teria vencido. A reportagem tenta localizar o advogado dos servidores.

Por G1 MT

O que é o toque fantasma no iPhone X e qual a solução

Depois de vários meses de reclamações em redes sociais e fóruns de tecnologia, empresa reconheceu problema na tela do smartphone. Veja que saída a Apple oferece aos usuários. Lançado no ano passado, o iPhone X foi o smartphone mais caro (US$ 999. No Brasil, o aparelho é encontrado à venda por uma média de R$ 5.500) em dez anos de história da Apple. Mas o celular que a empresa americana vendeu com o slogan "um salto à frente" deu um enorme passo para trás quando dezenas de clientes começaram a reclamar de uma falha conhecida como "toque fantasma".

O que é o 'toque fantasma' no iPhone X e qual a solução oferecida pela Apple

Nos fóruns online da Apple, multiplicavam-se as queixas sobre o assunto: há centenas de resultados quando se procura pelo termo em inglês "ghost touch" na página de suporte técnico da empresa. Trata-se de uma falha curiosa que afeta a tela do aparelho - a primeira da Apple a ser desbloqueada sem botão de início - e que gera um efeito no qual uma espécie de dedo invisível parece mover-se à vontade por ícones de aplicativos, por exemplo.

Em outros casos, a tela não responde ou funciona de forma irregular.  

"Meu iPhone X ficou praticamente inutilizável devido ao toque fantasma. Tentei reiniciá-lo várias vezes, mas está ficando cada vez pior. Podem me ajudar?", escreveu um usuário chamado Lewis no site da Apple em agosto deste ano.

Um dos técnicos da empresa respondeu com o link de uma página de ajuda na qual a Apple sugere a reinicialização do dispositivo "se a tela não responder ao toque". Ele não ofereceu outras soluções no caso de a reinicialização não funcionar.

No site Reddit - que reúne grupos de discussão sobre diversos assuntos - há também dezenas de comentários sobre o problema. Em alguns deles, os clientes da Apple se dizem "irritados", "furiosos" e até "enojados". Mas, após vários meses de controvérsia na internet, a empresa reconheceu o problema.

A resposta da Apple

"A Apple determinou que algumas telas do iPhone X podem sofrer problemas de toque devido a um componente que pode falhar no módulo da tela", informou a empresa em um comunicado publicado em seu site na última sexta-feira.

A empresa de tecnologia diz que, nos dispositivos afetados, a tela - ou parte dela - não responde imediatamente ao toque ou reage mesmo quando não é tocada. Em ambos os casos, a empresa lançou um programa de substituição gratuita da tela em lojas da Apple ou fornecedores autorizados.  A oferta é válida apenas para os iPhone X que foram afetados pela falha. A empresa compromete-se a mantê-la em vigor por um período de três anos. A empresa também diz que se o usuário já mandou consertar o smartphone por conta própria, pode pedir reembolso. 

Antecedentes

Esta não é a primeira vez que os celulares da Apple enfrentam críticas. Uma das últimas controvérsias da Apple tem a ver com o caso "Chargegate", que abrange os problemas com as baterias dos novos smartphones iPhone XS e XS Max, que têm problemas para carregar.

Houve também controvérsia sobre a lentidão deliberada de alguns modelos de iPhone depois de atualizações de software, algo que a Apple reconheceu pela primeira vez em 2017 e justificou como uma maneira de gerenciar o envelhecimento inevitável de baterias de íons de lítio.

"Nosso objetivo é proporcionar a melhor experiência aos nossos clientes", disse a empresa. 

"A Apple sempre foi muito boa em administrar expectativas. Este é um exemplo de como eles arruinaram (isso)", escreveu Nick Heer, desenvolvedor de blogs de tecnologia.

Outros analistas acusaram a empresa de "falta de transparência".

Desta vez, não houve muitas explicações sobre o "componente" que causa a falha do iPhone X, mas uma substituição gratuita foi oferecida.

Em 2016, o iPhone 6 Plus também apresentou complicações com a tela sensível ao toque. No entanto, a empresa cobrou US$ 149 a seus clientes para consertar o defeito.

Por BBC

'Guerra' balança preço do Bitcoin com risco de racha nas criptomoedas

Futuro do Bitcoin Cash está sendo disputado em um confronto que mede o poder de mineração de cada lado.  Uma "batalha virtual" vem sendo travada desde quinta-feira (15) para decidir o futuro da criptomoeda Bitcoin Cash (BCH), uma derivação do Bitcoin criada com o intuito de tornar a moeda mais utilizável no dia a dia. A moeda passa por reformulações periódicas, mas, desta vez, dois grupos divergem sobre o que deve ser modificado. Um dos grupos prometeu tentar forçar a rede a adotar a sua versão da moeda utilizando um "ataque de 51%".

'Guerra' balança preço do Bitcoin com risco de racha nas criptomoedas

O Bitcoin, que estava cotado a US$ 6,3 mil na quarta-feira (14), baixou para US$ 5,3 mil em menos de 24 horas. A moeda segue por volta dos US$ 5,6 mil neste sábado (17). O Bitcoin Cash, a moeda que está em disputa, caiu de US$ 520 para US$ 400 e muitas das casas de câmbio ("exchanges") de criptomoedas congelaram envios, recebimentos, depósitos e saques em Bitcoin Cash.

O "ataque de 51%" é uma fragilidade intencional do Bitcoin e da rede blockchain usada pelo Bitcoin. Nessa rede, as transações são incluídas em "blocos" que devem trazer uma solução para um problema matemático em um processo chamado de "mineração". O desafio matemático existe para garantir que a somatória do poder de processamento dos participantes da rede decida, de maneira democrática, os "caminhos" do Bitcoin.

Porém, quando um só indivíduo ou grupo hegemônico possui mais que 51% de todo o poder de processamento que soluciona o cálculo exigido pelos blocos da rede, esse grupo tem força para determinar a maioria dos blocos válidos, criando a possibilidade do "ataque de 51%".

Com essa capacidade, alguém poderia evitar a criação de blocos que não aderem a um determinado padrão, por exemplo. Mesmo que um bloco seja criado fora desse padrão por outras pessoas, o poder de processamento de 51% garante que, vez ou outra, dois blocos serão resolvidos em sequência por esse grupo controlador, isolando blocos criados por outras pessoas da rede.

Com isso, eles estariam ditando as regras da rede e também monopolizando as "recompensas de bloco" -- as moedas fornecidas como "prêmio" a quem soluciona cada bloco. Na rede do Bitcoin e seus derivados, cada bloco precisa referenciar o anterior. Quando muitos blocos são processados seguindo um certo padrão, a rede naturalmente se estabelece sobre esse "pilar", ainda que, no futuro, o responsável pelo ataque de 51% não detenha mais esse poder.

Por causa da disputa, não se sabe se haverá apenas um Bitcoin Cash ou até se a moeda pode ficar dividida para sempre, passando a existir dois Bitcoin Cash. O desfecho pode demorar "semanas", segundo a exchange Coinbase, uma das mais relevantes do mercado. A empresa não forneceu nenhuma previsão para reativar negociações em Bitcoin Cash.

ABC contra SV

Craig Wright, uma figura conhecida no mundo das criptomoedas por ter afirmado que era Satoshi Nakamoto, o criador do Bitcoin (uma alegação que ele depois desistiu de provar), promoveu uma versão do Bitcoin Cash denominada "BitcoinSV". SV significa "Satoshi's Vision" ("Visão do Satoshi") e supostamente aproxima o Bitcoin Cash dos objetivos expostos no artigo que deu origem ao Bitcoin, criado pela figura de Satoshi Nakamoto. A identidade real de Nakamoto é desconhecida até hoje.

Wright conta com o apoio de Calvin Ayre, um bilionário do ramo de apostas on-line, dono do grupo de mineração Coingeek. Do outro lado está o BitcoinABC, cujo desenvolvimento é liderado por Amaury Séchet. Séchet conta com o apoio de Roger Ver, um notório investidor em criptomoedas dono da Bitcoin.com, e Jihan Wu, cofundador da Bitmain, uma fabricante de equipamentos de mineração.

Wright afirma que Séchet e seus apoiadores estão ditando as regras do Bitcoin e centralizando a administração da moeda com suas mudanças programadas no protocolo. Ele promete que o BitcoinSV não sofrerá novas modificações, exceto por uma mudança no tamanho do bloco que permite que o Bitcoin processe mais transações por minuto. 

Apoiadores do BitcoinABC criticam Wright por estar tentando impor sua visão à comunidade e criando um racha que prejudica as moedas. No campo técnico, há uma divergência sobre uma mudança conhecida como "CTOR", que flexibiliza a ordem das transações dentro dos blocos, e da possibilidade de adicionar conexões externas com outras redes de criptomoedas. O BitcoinABC defende uma maior flexibilização no Bitcoin. Wright alega que as mudanças não trazem os benefícios desejados e que é preciso seguir a visão delineada por Satoshi Nakamoto.

O BitcoinABC chegou a abrir uma vantagem de 30 blocos na frente do SV. Essa vantagem caiu para 10 e, neste sábado, estava entre 15 e 20, de acordo com o site "Coin Dance".

Guerra teria custo milionário

O processamento responsável por solucionar o cálculo matemático exigido pelos blocos de Bitcoin tem um alto custo de energia elétrica. Hoje, esses custos são pagos com as "recompensas do bloco" -- as moedas que são distribuídas aos "mineradores" responsáveis por cada bloco.

Para disputar o Bitcoin Cash, parte do poder de processamento hoje direcionado ao Bitcoin original foi redirecionado para o Bitcoin Cash, especialmente para o BitcoinABC.  Porém, como o Bitcoin Cash vale menos de 1/10 do Bitcoin original, desviar esses recursos acarreta em perdas financeiras, já que o Bitcoin Cash não é nem mesmo capaz de cobrir os custos de energia elétrica desses equipamentos. Segundo a Coingeek, esse desvio pode estar custando US$ 14 milhões por dia aos apoiadores do BitcoinABC.

Caso a guerra se prolongue, Wright ameaçou "queimar" suas reservas em Bitcoin para conseguir financiar esses custos e chegou a dizer que o preço do Bitcoin poderia cair para US$ 1.000. 

Por que tanto interesse no Bitcoin Cash?

O Bitcoin Cash é uma derivação do Bitcoin original. Ele difere do Bitcoin tradicional em certos pontos, principalmente no que se refere à capacidade de transações. Realisticamente, o Bitcoin é capaz de quatro ou cinco transações por segundo, o que torna a moeda inviável para aplicações globais.

O Bitcoin Cash foi criado em 2017 para resolver esse problema. Defensores acreditam que, com a possibilidade de adoção e uso real da moeda, o valor dela pode superar o valor do Bitcoin original, cujas limitações técnicas podem impedir a adoção da tecnologia para pagamentos cotidianos.

Embora existam propostas alternativas para esse problema que não envolvam a criação de outra "moeda" (sendo a Lightning Network a solução de maior destaque), ainda não foi possível colocar em prática nenhuma dessas soluções.

Por Altieres Rohr

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Toffoli pede ao comandante do Exército indicação de novo assessor para o STF

Atual assessor de Toffoli, general Fernando Azevedo e Silva, assumirá Ministério da Defesa. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, pediu ao comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, a indicação de um novo assessor para o STF.

Toffoli pede ao comandante do Exército indicação de novo assessor para o STF

O atual assessor especial de Toffoli, general Fernando Azevedo e Silva, assumirá o Ministério da Defesa no governo de Jair Bolsonaro. Toffoli quer que o novo indicado o auxilie, no STF e no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em análises e políticas voltadas para a área de segurança.

Diálogo com as Forças Armadas

Conforme o blog antecipou em setembro, Toffoli fez o gesto de convidar um militar para assessorá-lo no STF para manter aberto o diálogo com as Forças Armadas. Antes mesmo de assumir o comando do STF, procurou Eduardo Villas Boas para pedir a indicação de um nome para a assessoria pessoal.



O general atendeu ao pedido e apontou um nome de confiança dele para trabalhar ao lado do novo presidente da Corte, o de Azevedo e Silva, que havia entrado recentemente para a reserva compulsória.

Por Andréia Sadi

Jato privado de Cardi B faz pouso de emergência em Chicago após piloto passar mal

Segundo o TMZ, o voo com a rapper americana seguia de Los Angeles para Nova York, mas precisou parar em O'Hare para piloto ser atendido. Um jato privado que levaria Cardi B até Nova York no domingo (25) precisou fazer um pouso de emergência em Chicago. Segundo o TMZ, não houve nenhuma falha mecânica na aeronave. Mas o piloto sofreu sérios problemas estomacais e precisou de cuidados médicos.

Jato privado de Cardi B faz pouso de emergência em Chicago após piloto passar mal

Ainda segundo fontes do TMZ, o jatinho ia de Los Angeles para Nova York, na noite de domingo. Na segunda-feira (26), a cantora anunciou em suas redes sociais que havia feito um pouso não programado em Chicago e que estava presa no aeroporto. O voo foi desviado para O'Hare, no noroeste de Chicago, já que o Aeroporto Internacional Midway estava fechado por problemas climáticos

Por G1

Corpos de empresário e mulher vítimas de acidente de avião são velados na Grande BH

Empresário Adolfo Geo, a esposa, Margarida Giannetti Geo, o piloto e o co-piloto morreram no acidente; avião caiu em fazenda no Norte do estado. Os corpos do empresário Adolfo Geo e da esposa dele, Margarida Giannetti Geo, estão sendo velados na manhã desta terça-feira (27) no Parque Renascer Cemitério e Crematório, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Além dos dois, o piloto Marco Aurélio Carvalho e o co-piloto Oliver Schmitzer morreram nesta segunda-feira (26) na queda de um avião em Jequitaí, no Norte de Minas.

Corpos de empresário e mulher vítimas de acidente de avião são velados na Grande BH

Segundo o cemitério, a previsão é que os corpos de Adolfo Geo e da Margarida sejam cremados no início desta tarde. A imprensa não foi autorizada a acompanhar a cerimônia. As vítimas foram carbonizadas e, por isso, precisaram do exame de identificação no Instituto Médico Legal da capital. Os corpos do empresário e da mulher dele foram liberados para a família na noite desta segunda.

Adolfo Geo possuía fazendas de confinamento de gado no município de Jequitaí. O acidente ocorreu quando o avião se preparava para pousar na Fazenda Fortaleza Santa Terezinha, de propriedade do empresário. Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave modelo Cessna Citation M2 tinha capacidade para oito passageiros e havia decolado do Aeroporto da Pampulha, na capital mineira.

As causas do acidente serão investigadas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Em nota, o órgão informou ao G1 que investigadores vão realizar uma ação inicial para coletar dados, como fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de testemunhas. O prazo para conclusão das investigações não foi informado.

Depois dos trabalhos de perícia, a Polícia Civil informou que trabalha com a hipótese de falha mecânica no momento em que a aeronave se aproximava da pista de voo da fazenda que pertencia ao empresário.

Por G1 Minas, Belo Horizonte

6ª fase da Operação Lama Asfáltica mira dinheiro desviado de MS e enviado para o exterior

Etapa batizada de Computadores de Lama foi deflagrada nesta terça-feira em quatro cidades. Nas seis fases da operação, a PF contabiliza prejuízos de R$ 432 milhões com fraudes e propinas. A 6ª fase da Operação Lama Asfáltica, deflagrada na manhã desta terça-feira (27), apura desvios e dinheiro do governo de Mato Grosso de Sul e remessas ilegais ao exterior. Chamada de Computadores de Lama, essa etapa mira operações financeiras realizadas por donos de empresas de informática que já tinham sido alvo da Lama Asfáltica.

6ª fase da Operação Lama Asfáltica mira dinheiro desviado de MS e enviado para o exterior

A Polícia Federal cumpre quatro mandados de prisão preventiva e 25 de busca e apreensão em Campo Grande, Jaraguari, Dourados e Paranhos. Participam mais de 100 agentes federais, 17 servidores da CGU e 33 da Receita Federal. A Justiça também ordenou o bloqueio de contas bancárias de pessoas físicas e empresas.

Entre os locais onde foram cumpridos mandados estão o Tribunal de Contas do Estado (TCE), a sede uma agência de publicidade, casas de empresários e também de advogados. Confira no vídeo abaixo a chegada da força-tarefa em alguns destes locais:

Investigações

Segundo a PF, essa nova fase decorreu da análise dos materiais apreendidos em etapas anteriores, coletados nas fiscalizações e exames periciais. As investigações apontam que os desvios de dinheiro público ocorreram por meio de licitações direcionadas para serviços de informática, aquisição fictícia ou ilícita de produtos, simulação de contratos e uso de “laranjas” para a ocultação de patrimônio.

A Lama Asfáltica começou em 2015, para apurar fraudes em obras públicas. Somando todas as fases, a força-tarefa identificou prejuízos que passam dos R$ 432 milhões. Para o cálculo, são consideradas as fraudes, valores concedidos irregularmente como benefícios fiscais e propinas pagas a integrantes da organização criminosa investigada.

Fases da Lama Asfáltica

1ª fase: foi deflagrada em 9 de julho de 2015 e apurava fraude em obras públicas – em uma delas, a grama que deveria ser plantada ao longo de três rodovias era substituída por capim. Todos os investigados negaram as acusações.

2ª fase: a operação Fazendas de Lama ocorreu em 10 de maio de 2016. Foi a primeira vez que a PF esteve na casa do ex-governador André Puccinelli. Investigação indicou que o dinheiro obtido com corrupção foi usado para a compra de fazendas, daí o nome da ação.

3ª fase: em julho de 2016, foi realizada a ação chamada de Aviões de Lama. Os alvos foram acusados de revender bens de alto valor e dividir o dinheiro com diversas pessoas, com o objetivo de ocultar a origem.

4ª fase: a Máquinas de Lama foi deflagrada em maio de 2017. Conforme a PF, os alvos direcionavam licitações públicas, superfaturavam obras, faziam aquisição fictícia ou ilícita de produtos e corrompiam agentes públicos.

5ª fase: batizada de Papiros de Lama, ocorreu em 14 de novembro de 2017 e teve o objetivo de desarticular grupo suspeito de desviar R$ 235 milhões em recursos públicos, por meio, entre outros, do direcionamento de licitações públicas e superfaturamento de obras públicas. A PF apontou o ex-governador André Puccinelli, que está preso desde junho deste ano, como chefe da organização criminosa. Ele responde por crimes como lavagem e desvio de recursos públicos.

Por Anderson Viegas, G1 MS

Dólar cai abaixo de R$ 3,90, após 5 altas seguidas e com atuação do BC

Banco Central anunciou que fará leilão de US$ 2 bilhões nesta terça. Na véspera, dólar fechou em alta de 2,51%, a R$ 3,9176, acumulando 5 sessões seguidas de valorização. O dólar é negociado em queda nesta terça-feira (27), após uma sequência de 5 altas seguidas, e com atuação do Banco Central para tentar acalmar o mercado em meio a um cenário externo mais turbulento. Às 12h13, a moeda dos EUA caía 0,8%, cotada a R$ 3,8862 . Na mínima do dia até o momento, o dólar chegou a R$ 3,8757. Já o dólar turismo era negociado a R$ 4,06, sem considerar o IOF (tributo). Veja mais cotações.

Dólar cai abaixo de R$ 3,90, após 5 altas seguidas e com atuação do BC

Na véspera, o dólar fechou em alta de 2,51%, a R$ 3,9176, maior patamar fechamento desde 2 de outubro (R$ 3,9333). Segundo a agência Reuters, foi a maior alta percentual desde 14 de junho, o que levou o Banco Central a anunciar uma intervenção no câmbio.

O BC irá ofertar nesta terça US$ 2 bilhões em operações de venda de moeda com compromisso de recompra, os chamados leilões de linha, com o objetivo de prover liquidez ao mercado. São operações novas que se somam aos leilões de rolagem de contratos de swap cambial tradicional (equivalente à venda futura de dólares).

O Banco Central também realiza nesta sessão leilão de até 13,6 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de dezembro, no total de US$ 12,217 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Alta de 4,75% em 5 sessões

Somente em 5 sessões, o dólar acumulou valorização de 4,75% ante o real. Na parcial do mês, a alta é de 5,24%. No ano, o avanço é de 18,23%. A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 permanece em R$ 3,70 por dólar, segundo última pesquisa Focus do Banco Central divulgada na véspera. Para o fechamento de 2019, subiu de R$ 3,76 para R$ 3,78 por dólar.

O que explica as últimas altas

A alta do dólar tem sido influenciada por um cenário internacional mais turbulento, por um fluxo de saída de recursos em ambiente de aversão ao risco no exterior e cautela com o cenário político local. Os investidores estão cautelosos com o encontro entre os presidentes norte-americano, Donald Trump, e chinês, Xi Jinping, no G20 no final de semana, as perspectivas de menor crescimento econômico mundial e ainda as negociações políticas locais.

Nesta terça, o cenário externo continuava adverso, depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou esperar seguir em frente com o aumento de tarifas sobre US$ 200 bilhões em importações chinesas, o que jogou um balde de água fria sobre o otimismo vigente diante do encontro dele com o presidente da China, Xi Jinping no G20, no final da semana.

Nesta quinta-feira, o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) divulga a ata de seu último encontro de política monetária. A expectativa sobre a trajetória dos juros norte-americano tem permeado os negócios, com os temores de enfraquecimento da economia global reforçando a leitura de que o Fed poderia ser mais suave nos aumentos da taxa. A previsão, por ora, é de mais cinco aumentos até o início de 2020, sendo dezembro o quarto deste ano.

Educação Financeira: Como o sobe e desce do dólar influencia minha vida? Com o juro mais alto nos EUA e estável no Brasil – a pesquisa Focus desta segunda-feira trouxe perspectiva menor para a alta da Selic em 2019 –, o diferencial de juros entre os países também ajuda a sustentar a trajetória de alta da moeda ante o real.

Internamente, as atenções seguem voltadas para a equipe do novo governo e, especificamente nesta sessão, à votação do projeto de lei de cessão onerosa no Senado, já adiada anteriormente, e que pode ajudar o novo governo a fazer o ajuste fiscal.

Por G1

PM é morto a tiros em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense

Major estava em seu carro no bairro Jardim Esplanada quando foi atingido por tiros de fuzil, disparados por criminosos encapuzados. Ele é o 87º PM morto este ano no estado. Um major da Polícia Militar foi morto a tiros na manhã desta terça-feira (27) no bairro Jardim Esplanada, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Alan de Luna Freire, de 40 anos, estava dentro do carro particular quando foi baleado.

PM é morto a tiros em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense

De acordo com a PM, a vítima dirigia seu carro perto de onde mora, por volta das 8h30, quando criminosos encapuzados e armados com fuzis atiraram várias vezes contra o veículo. O policial morreu no local. O PM era lotado no 17ºBPM (Ilha do Governador) e estava na corporação há 17 anos. Alan Freire deixou esposa e um filho de três anos. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense investiga o caso.


PM é morto a tiros em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense

O oficial é o 87ºPM morto no Estado do Rio este ano. O último caso registrado antes desse foi há dois dias, quando o policial Claudio Campello Marazzo foi assassinado após tentativa de assalto no bairro Engenheiro Leal, na Zona norte do Rio.

Por G1 Rio

ONG pede à Argentina que investigue príncipe saudita por Iêmen e caso Khashoggi

Príncipe Mohammed participará da abertura da cúpula do G20 nesta semana em Buenos Aires. A Human Rights Watch pediu à Argentina que recorra a uma cláusula de crimes de guerra de sua Constituição para investigar o papel do príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, em possíveis crimes contra a humanidade no Iêmen e o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

ONG pede à Argentina que investigue príncipe saudita por Iêmen e caso Khashoggi

A diretora da HRW para o Oriente Médio e o norte da África, Sarah Leah Whitson, disse que o grupo internacional de direitos humanos levou o caso à Argentina porque o príncipe Mohammed, também conhecido como MbS, participará da abertura da cúpula do G20 nesta semana em Buenos Aires.

A Constituição argentina reconhece a jurisdição universal para crimes de guerra e tortura, o que significa que as autoridades judiciais podem investigar e processar estes crimes não importa onde tenham sido cometidos. A Human Rights Watch disse que o pedido foi enviado ao juiz federal Ariel Lijo. Nem o escritório de Lijo nem a procuradoria-geral da Argentina responderam a pedidos de comentário feitos pela agência Reuters.

Jurisdição universal

"Submetemos esta informação a procuradores argentinos com a esperança de que investigarão a cumplicidade e a responsabilidade de MbS em possíveis crimes de guerra no Iêmen, além da tortura de civis, inclusive Jamal Khashoggi", disse Sarah à Reuters.

A mídia argentina citou fontes judiciais segundo as quais é extremamente improvável que as autoridades assumam um caso contra o príncipe herdeiro, o governante de fato da Arábia Saudita. Casos baseados na jurisdição universal já tiveram sucesso antes. Em 1998, o juiz espanhol Baltasar Garzón conseguiu ordenar a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet em Londres.

Caso Khashoggi e guerra no Iêmen

O assassinato de Khashoggi, colunista do jornal "Washington Post" e crítico do príncipe herdeiro, no consulado saudita em Istambul seis semanas atrás provocou tensão nos laços de Riad com o Ocidente e abalou a imagem do príncipe no exterior. Nações ocidentais também estão pedindo o fim da campanha militar liderada pelos sauditas no vizinho Iêmen, que foi iniciada por MbS, à medida que a crise humanitária do país está se agravando.

Por Reuters

Apostador de Indaiatuba que ganhou R$ 69,1 milhões na Mega-Sena retira prêmio

Segundo a instituição, ele compareceu na tarde de segunda-feira em uma das agências da Região Metropolitana de Campinas. Sorteio aconteceu no sábado. O apostador de Indaiatuba (SP) que ganhou sozinho R$ 69.186.484,11 do concurso 2.100 da Mega-Sena retirou o prêmio. De acordo com a Caixa, ele compareceu, na tarde de segunda-feira (26), em uma das agências do banco público da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

Apostador de Indaiatuba que ganhou R$ 69,1 milhões na Mega-Sena retira prêmio

A instituição informou que o vencedor fez apenas uma aposta simples na lotéria "Premiada de Indaiatuba", no Jardim São Conrado. O sorteio ocorreu na noite de sábado (24), em Campos Belos (GO). Dezenas sorteadas foram 01,10, 11, 13, 35 e 49. De acordo com a Caixa, a probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prémio é de 1 a 50.063.860, segundo o banco.

Por G1 Campinas e Região

Polícia estima que R$ 100 milhões foram roubados após assalto a agência bancária em Bacabal

Investigação aponta que o chefe da quadrilha responsável pelo assalto foi identificado como 'Zé de Lessa'. Na ação, quatro pessoas morreram, uma ficou ferida e duas foram detidas. A Polícia Civil do Maranhão disse na manhã desta terça-feira (27) que a quadrilha que assaltou uma agência bancária na cidade de Bacabal no domingo (25), trocou tiros com policiais e incendiou viaturas pode ter conseguido roubar cerca de R$ 100 milhões do local. Ainda de acordo com a polícia, desse montante, R$ 3 milhões já foram recuperados.

Polícia estima que R$ 100 milhões foram roubados após assalto a agência bancária em Bacabal

Na ação, quatro pessoas morreram: três assaltantes e um morador da cidade. Outro morador também foi atingido por disparos e segue em recuperação. Duas pessoas foram flagradas pela Polícia Militar dentro da agência recolhendo as cédulas deixadas pelos bandidos e foram detidas.

A investigação aponta que o chefe da quadrilha responsável pelo assalto chama José Francisco Lumes, mais conhecido como “Zé de Lessa”. Ainda segundo a polícia, ele estava comandando pessoalmente a ação da quadrilha no município. De acordo com a polícia, “Zé de Lessa” é bastante conhecido por crimes em todo o país, especialmente por roubos a banco. Natural do estado da Bahia, “Zé de Lessa” já fez assalto a instituições financeiras, foi preso algumas vezes e a última vez que saiu da prisão foi para terminar de cumprir a pena no regime domiciliar.

Polícia estima que R$ 100 milhões foram roubados após assalto a agência bancária em Bacabal

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão informou que foram deslocadas várias equipes das Polícias Civil e Militar para o município e cidades vizinhas. A polícia informou ainda que está estudando a conexão dos envolvidos com quadrilhas de outros estados.

Por G1 MA, São Luís

Dodge opina pela aprovação com ressalvas das contas de campanha de Jair Bolsonaro

Para PGR, inconsistências encontradas na prestação de contas não comprometem a regularidade da declaração. Julgamento das contas deve ocorrer no dia 4 de dezembro. A procuradora-geral Eleitoral, Raquel Dodge, opinou pela aprovação com ressalvas das contas de campanha da chapa composta por Jair Bolsonaro (PSL) e Hamilton Mourão (PRTB) às eleições presidenciais de 2018. 

O parecer foi enviado na segunda-feira (26) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e divulgado nesta terça (27). A diplomação de Bolsonaro está marcada para o dia 10 de dezembro. Para que isso ocorra, o TSE precisa julgar as contas antes disso. A previsão é de que o caso seja analisado pelos ministros no próximo dia 4 de dezembro.

Dodge opina pela aprovação com ressalvas das contas de campanha de Jair Bolsonaro

No último sábado, a área técnica do tribunal recomendou a aprovação com ressalvas das contas. O relator do caso, ministro Luís Roberto Barroso, enviou o parecer para a PGR e solicitou manifestação sobre o processo. Em seu parecer, a PGR afirma que foram constatadas irregularidades no valor de R$ 171 mil nas contas, o que representa 3,9% do total de gastos. Dodge ressalta no documento que a área técnica do TSE afirmou que as inconsistências encontradas não comprometem a regularidade das contas.

Os candidatos informaram ao TSE terem arrecadado R$ 4.390.140,36. Já o total de gastos declarados foi de R$ 2.456.215,03. Na análise técnica, foram apontadas irregularidades de R$ 113,2 mil nas receitas e de R$ 58,3 mil no total de gastos. Para Dodge, houve boa-fé por parte dos candidatos, com a preservação do “princípio da transparência e do controle social quanto à identificação dos doadores”. Ela diz ainda que as inconsistências têm natureza formal e não comprometem a confiabilidade das contas prestadas.

Sobre a possível existência de doadores desempregados, de doadores funcionários de uma mesma empresa privada e de doadores falecidos, a Procuradoria afirma que “tais indícios poderão ensejar apuração nas instâncias adequadas” e que os dados serão encaminhados a promotores para eventual investigação.

Em nota enviada no último sábado, a advogada Karina Kufa, responsável pelas contas eleitorais de Bolsonaro, disse que o parecer final está de acordo com o que esperava. "Realmente acredito na aprovação pelos ministros sem ressalvas, dada a suficiente fundamentação nos três pontos em questão. As receitas e despesas foram acompanhadas com muito zelo, estando impecável a prestação das contas", disse.

Por Rosanne D'Agostino
G1, Brasília

Publicidade

Responsive Full Width Ad