Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Publicidade
Publicidade
✆ 93 9 9211 0226
WhatsApp
WhatsApp

Mostrando postagens com marcador Educação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Educação. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Itaituba: Corpo de Bombeiros realiza o Projeto “Bombeiros por um dia”

A programação teve a participação dos alunos da rede municipal de ensino; Evento foi realizado durante o último sábado (16).

Foto: ASCOM/7º GBM
O 7° Grupamento Bombeiro Militar realizou ao longo deste último sábado (16), o projeto “Bombeiro por um dia”. O projeto foi realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e contemplou alunos da rede municipal de ensino.

O evento é alusivo ao dia das crianças e também tem como intuito de mostrar aos pequenos como é a rotina de um bombeiro militar.  A ação busca ainda a promoção da amizade e a vivência harmoniosa entre os alunos.

Foto: ASCOM/7º GBM
A programação iniciou pela parte da manhã, com hasteamento do Pavilhão Nacional e estendeu-se ao longo do dia com instruções de civismo, salvamento em altura, atendimento pré-hospitalar e combate a incêndios voltados para acidentes domésticos.

Ao final, as crianças puderam colocar em prática todo o conhecimento adquirido em um circuito de atividades montado pela equipe de instrutores. 

Foto: ASCOM/7º GBM
Os pais e responsáveis tiveram o papel de entregar o certificado de participação em uma cerimônia de encerramento do Projeto.


On News / Plantão 24hrs News

Itaituba: Alunos da rede municipal recebem premiação por destaque na OBMEP

As medalhas foram entregues a alunos do 4º e 5º anos do ensino fundamental. A premiação é alusiva a 2019, não sendo permitida a entrega antes devido a pandemia.

Foto: Reprodução / Ascom PMI
Na manhã de segunda-feira (18), alunos da rede pública de Itaituba, sudoeste do Pará, receberam medalhas de ouro, prata e bronze da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) - Nível A, voltada para alunos do 4º e 5º anos do ensino fundamental. 

A premiação é alusiva a 2019, não sendo permitida a entrega antes devido a pandemia. As medalhas foram enviadas ao município e foram entregues pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) na presença de pais e professores. 

Foto: Reprodução / Ascom PMI
Ao todo, 49 medalhas foram entregues, sendo 4 medalhas de ouro, 12 medalhas de prata e 33 medalhas de bronze. Aos medalhistas de prata e ouro, a secretaria também ofertou um mimo, como incentivo. 

A OBMEP tem como principais objetivos estimular e promover o estudo da Matemática no Brasil, contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica e incentivar o aperfeiçoamento dos professores das escolas públicas, contribuindo assim para a sua valorização profissional.

Foto: Reprodução / Ascom PMI


On News / Ascom PMI

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Alunos da Ufopa são únicos finalistas da região Norte na 3ª Olimpíada Brasileira de Química

A OBESQ avalia o conhecimento de alunos dos mais diversos cursos de Química em nível de graduação do país. Ao todo foram 225 inscritos de todo o Brasil.

Técnicas laboratoriais habituais também são avaliadas na Olimpíada Brasileira de Química — Foto: Reprodução/EPTV
Ian Marcos Gomes Ramos, Karolayne Carvalho dos Santos e Sthefany Caroline dos Santos Mota são os únicos finalistas da região Norte na III Olimpíada Brasileira do Ensino Superior de Química (OBESQ 2021). Eles são alunos do curso de Licenciatura em Química da Ufopa, em Santarém, oeste do Pará.

Ao todo foram 225 inscritos de todo o Brasil, sendo que dos cinco alunos da Ufopa que realizaram as provas da fase II, etapa nacional com questões objetivas, três deles foram classificados para a fase III.

A OBESQ avalia o conhecimento de alunos dos mais diversos cursos de Química em nível de graduação do país, abordando questões em quatro modalidades ou subáreas da Química: Química Inorgânica, Química Orgânica, Físico-Química e Química Analítica, incluindo técnicas laboratoriais habituais.

“Esta última etapa constará de questões analítico-expositivas e ocorrerá no próximo dia 17 de outubro. O resultado final será divulgado em novembro, quando serão conhecidos os 12 melhores colocados na classificação geral e os três primeiros colocados nas quatro modalidades. Desejamos aos nossos discentes sucesso nas provas”, afirmou o coordenador do curso de Licenciatura em Química da Ufopa, professor Joacir Stolarz de Oliveira.


G1 Santarém

sexta-feira, 8 de outubro de 2021

Indígena deixa canavial e se torna primeiro professor indígena do curso de Direito da UFPA

Almires Martins Machado é bacharel de direito pela UniGran, de Mato Grosso do Sul, tem mestrado em Direitos Humanos e doutorado em Antropologia pela Universidade Federal do Pará.

Almires Martins Machado, 54 anos. Foto: Reprodução
Almires Martins Machado, de 54 anos, da etnia Guarani-Terena, se tornou o primeiro indígena a tomar posse para o cargo de professor por concurso público realizado para indígenas na Universidade Federal do Pará (UFPA). Ele vai atuar no Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ), no Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD) e na Clínica de Direitos Humanos da Amazônia (CIDHA).

A cerimônia de posse aconteceu nesta quinta-feira (7), no gabinete do reitor da UFPA Emmanuel Tourinho, em Belém. Também participaram do momento simbólico a antropóloga e professora da UFPA Jane Beltrão, a doutoranda indígena Putira Sacuena, os professores do ICJ Cristina Terezo, Paulo Weyl e Breno Baia Magalhães, a professora da Escola de Aplicação da UFPA Antônia Brioso e o pró-reitor de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas, Ícaro Pastana.

Indígena Almires Martins Machado, de 54 anos, toma posse como professor visitante do curso de Direito da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém — Foto: Alexandre de Moraes/Ascom UFPA
De acordo com Almires Machado, a assinatura da posse foi um momento histórico para Universidade e dele, que representa uma conquista para toda a comunidade indígena.

"A minha entrada na UFPA é mais um passo importante de representatividade da nossa comunidade (indígena), assim como a quilombola. O sentimento é de satisfação. Satisfação de mostrar a todos que, não a meritocracia, mas a ideia de que nós chegamos e chegamos para ficar", disse o Guarani-Terena.

Da aldeia para o canavial

A história de Almires Martins Machado começou em 1967, na aldeia Jaquapirú, que fica em Dourados, em Mato Grosso do Sul. Desde pequeno se destacava entre as crianças foi criando para ser uma liderança para o grupo.

"Na aldeia fui criando com a mentalidade de que assumiria a liderança. Me destacava na escola e isso era muito bom para a nossa comunidade", contou Almires.

Em 1985, o indígena concluiu o ensino médio. O país estava em crise financeira. A fome e morte de crianças por desnutrição na aldeia forçou os mais jovens e instruídos procurarem emprego.

Como o preconceito forte sobre a etnia, a saída foi ir trabalhar no canavial das usinas de cana e álcool da região. Segundo Almires, mais de 10 mil indígenas na época se submeteram ao trabalho análogo à escravidão.

"Ficávamos em lonas e não tínhamos água potável, era de bica e minas. Não tínhamos os direitos trabalhistas, como férias, 13º, salário fixo e outros", contou.

"Então decidi procurar o Ministério Público Federal (MPF) para relatar o que estávamos passando. Naquela época não tínhamos direito trabalhista. Depois de muitas conversas começamos a ter as primeiras carteiras assinadas. Racismo institucional, racismo estrutural e preconceito não eram visível, eram gritante. Isso me fez querer lutar ainda mais", completou.

Foto: Reprodução
Do canavial para a Universidade

Após 12 anos trabalhando em usinas de cana e álcool em Mato Grosso do Sul, Almires Machado recebeu um convite de um coordenador da Fundação Nacional do Índio (Funai) para produzir um projeto que seria apresentado nas universidades locais para tentar garantir vaga reserva para indígenas.

"Fomos para Federal, bateram a porta na nossa cara, fomos na Estadual, bateram a porta na nossa cara. A única que aceitou foi a Universidade de Dourado. Então ela abriu 100 vagas para indígenas, em todos os cursos que ela tinha. Ela não cobraria a mensalidade. Na verdade, 50% pagos pela universidade e 50% pagos pela Funai. Entrei na universidade de Direito em 1998", explicou Almires.

Mesmo dentro da universidade, precisou superar o preconceito diariamente para ser ouvido e validado dentro das questões que reivindicou durante todo o processo por mais espaço para indígenas e quilombolas.

"Minha missão era desconstruir a imagem do indígena é incapaz e burro, como fui acostumado a ouvir, infelizmente", lamentou.

Almires concluiu o curso em 2004. Depois seguiu trabalhando dentro da própria universidade de Dourado. Em 2005 foi convidado a ser assessor da Funai durante as conferências estaduais. Em uma das viagens pelo órgão, o indígena Guarani-Terena conheceu a professora da UFPA Jane Beltrão.

"Ela me fez um convite para escrever um projeto para a inserção de indígenas no curso de pós-graduação da UFPA, e conseguimos que ele fosse aprovado. Em 2007 iniciei o mestrado junto com a Rosane Kikaimgamg, que hoje ela está fazendo pós-doutorado em Direto na UFPA. Fomos os precursores para toda a abertura para indígenas e quilombolas na pós-graduação da UFPA", contou.

Do mestrado em Direitos Humanos para o doutorado em Antropologia. A caminhada de Almires Machados até uma cadeira da docência da UFPA teve o marco nessa quinta-feira, 7 de outubro de 2021, assinando a posse do cargo por meio de concurso público.

"Assinar o contrato com a UFPA veio coroar todo esse caminho", concluiu.


G1 Pará

terça-feira, 5 de outubro de 2021

Alepa aprova projeto que garante reajuste salarial aos professores do Pará

Aumento médio é de 24%, mas em alguns casos pode chegar a 40%.

Professores realizaram ato na Alepa durante votação do projeto - Foto Natália Mello
Os deputados da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) aprovaram, nesta terça-feira (5), o Projeto de Lei nº 346/2021, que determina o reajuste médio de 24% da remuneração para professores da rede estadual de ensino, mas desvincula as correções do piso salarial nacional das gratificações por titularidade.  A matéria do Executivo foi recebida pela Casa na manhã de segunda-feira e causou surpresa à categoria, que por meio do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), realizou uma mobilização em frente ao prédio da casa de leis.

Logo cedo, antes da sessão, as Comissões de Constituição e Justiça (CCJ); Fiscalização, Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Educação (CEDU) discutiram a matéria. Após o ato da categoria, os deputados Chicão, Marinor Brito, Carlos Bordalo e Professora Nilse receberam uma comissão dos trabalhadores, e ouviu as reivindicações da classe, mas apenas uma alteração foi aprovada - a Emenda Modificativa proposta pelos deputados Dirceu Ten Caten, Carlos Bordalo, Professora Nilse e Cilene Couto. O dispositivo altera o art 5°, parágrafo 3°, e determina que o valor da aula extra será equivalente ao valor do vencimento base da hora aula do professor, mas não será considerado para nenhuma outra vantagem.

Foto: Reprodução
O coordenador geral do Sintepp, Beto Andrade, reforçou que o ganho da categoria, em relação ao reajuste do vencimento base, é referente ao excesso de arrecadação do governo do Estado, devido às altas mas tarifas de energia elétrica e combustível, mas que retirar direitos conquistados historicamente pela categoria vai prejudicar e muito a classe. “Esse aumento, de R$ 700 para R$ 850 milhões ainda nem corresponde ao pagamento atrasado do piso nacional. O cálculo que fizeram chegava e 1,4 bilhões de reais. E ainda vai congelar as nossas gratificações, de titularidade, por exemplo, é um efeito cascata que vamos perdendo direitos já conquistados. Tudo feito atropelado feito, às pressas, gostaríamos de ter tempo pra debater e pensar em as possibilidades”, destacou.


O Liberal

Governador Helder Barbalho apresenta projeto para aumentar piso salarial de professores em 40%

Se aprovada, a medida deve beneficiar até 40 mil trabalhadores do magistério.

Foto: Reprodução
O governador Helder Barbalho apresentou, na segunda-feira (4), na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), um Projeto de Lei que tem o objetivo de aumentar em 40% o piso salarial da categoria dos profissionais da educação do Pará.

Se aprovada, a medida deve beneficiar até 40 mil trabalhadores do magistério e haverá um gasto extra de recursos do Estado na casa dos R$ 850 milhões, anualmente. Segundo o chefe do Executivo estadual, há confiança de que, ainda neste mês de outubro, o projeto já esteja em vigor.

Segundo o presidente da Alepa, deputado Chicão (MDB), a medida será tratada com urgência. Já nesta terça-feira (5), a matéria passará pela aprovação de três Comissões da Casa: de Constituição e Justiça (CCJ), de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Educação (Cedu).


O Liberal

sexta-feira, 1 de outubro de 2021

Itaituba: Três escolas participam da capacitação de implementação do Novo Ensino Médio

A capacitação ocorreu pela Consultoria Qualifica Pará, nesta sexta-feira (01).

Foto: Reprodução/12ª URE
Na manhã desta sexta-feira (01), a direção da 12ª Unidade Regional de Educação (12ª URE) reuniu-se com algumas escolas na abertura de formação da implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Novo Ensino Médio.

De acordo com Ribamar Almeida, Diretor da 12ª URE, nesse primeiro momento, o público alvo foram professores das escolas Centro Educacional Anchieta, Isaac Newton e Maranata. 

Professores participando da capacitação. Foto: Reprodução/12ª URE
Ainda segundo informações, estas instituições de ensino são as escolas pilotos do Novo Ensino Médio. Nessa etapa, a Qualifica Pará é a responsável para capacitar os professores. 


On News com informações Plantão 24hrs News

quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Itaituba: Calendário Letivo de 2021 da Ufopa começa no dia 5 de outubro no formato remoto e semipresencial

O semestre letivo será realizado de 5 de outubro de 2021 a 15 de fevereiro de 2022, com alguns dias de recesso em dezembro.

Foto: Reprodução
Com a publicação da Resolução nº 363/2021, o Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) regulamentou o Calendário Letivo de 2021, com a execução e oferta de componentes curriculares e de outras atividades previstas nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPCs) de graduação da Ufopa, no formato remoto e/ou semipresencial, a partir do dia 5 de outubro.

A decisão foi tomada em reunião do Consepe, realizada na última sexta-feira (17), e considerou a Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência em saúde pública pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), além de outros documentos que tratam sobre o período pandêmico.

A Ufopa toma como base o Plano de Biossegurança proposto pelo Comitê Permanente de Crise para Prevenção e Combate ao Coronavírus (Covid-19) da Ufopa, atualizado neste dia 21 de setembro de 2021.

De acordo com a resolução, entende-se por formato remoto a aplicação de uma metodologia de interação aluno-professor não presencial, mediada por ambiente de aprendizagem virtual e acessado por cada um em diferentes espaços. A interação poderá ser em tempo real (atividades síncronas) ou não (atividades assíncronas). No formato semipresencial, haverá uma combinação de metodologias de ensino, remoto e presencial, permitindo que os conteúdos e atividades sejam trabalhados de forma integrada e planejada.

A pró-reitora de Ensino de Graduação (Proen) da Ufopa, professora Solange Ximenes, destacou que as atividades remotas estavam sendo realizadas desde o ano passado, na execução dos calendários acadêmicos do primeiro e do segundo semestre de 2020, encerrado neste mês de setembro. Segundo Ximenes, “a partir de agora serão permitidas as atividades que pressuponham uma maior presencialidade. Poderão ser ofertados componentes de caráter teórico-prático ou prático que seguirão critérios de prioridades a serem definidos pelas respectivas unidades acadêmicas, observando os princípios de segurança definidos pela Universidade”.

As prioridades destacam, por exemplo, os trabalhos de conclusão de curso, estágios supervisionados, aulas de campo, visitas técnicas, entre outros componentes teórico-práticos, sempre de acordo com o Plano de Biossegurança da Ufopa e com as normas previstas pelo Comitê Local de Biossegurança e Vigilância da Unidade (CLBioV).

O reitor da Ufopa, professor Hugo Alex Diniz, ressaltou que há diversos alunos, no processo de formação, que necessitam de atividades práticas e de laboratório. “Olhando para o Plano de Biossegurança que está na tela, olhando para o cenário epidemiológico na nossa região, o Consepe estabeleceu alguns regramentos para que essas atividades presenciais possam acontecer”, disse o reitor.

Entre os principais pontos indicados pela Ufopa estão a necessidade de vacinação para toda a comunidade acadêmica e a adequação dos espaços, além da disponibilidade de insumos, como o álcool em gel, para as atividades presenciais. “À medida que a vacinação avança, nós ficamos mais esperançosos de podermos prestar um serviço ainda melhor para nossos alunos, tendo em vista que a Internet em nossa região dificulta muito as atividades remotas”, concluiu o reitor.

Programa Forma Pará

Pela Resolução nº 365, de 20 de setembro de 2021, do Consepe, foi aprovado o Calendário Acadêmico da Graduação 2021 para as turmas de cursos ofertados pela Universidade Federal do Oeste do Pará no âmbito do Programa Forma Pará.

O semestre letivo 2021.1 será realizado de 5 de outubro de 2021 a 15 de fevereiro de 2022, com alguns dias de recesso em dezembro.

A programação de início das atividades ocorre a partir do dia 5 com a Aula Magna, que será realizada de forma remota, e nos dias 6 e 7 de outubro com atividades específicas nos municípios de Rurópolis e Novo Progresso, respectivamente.


Comunicação/Ufopa

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Itaituba: Escolas estaduais pretendem retornar as aulas 100% presenciais em outubro

Na retomada, todos os protocolos de biossegurança para a prevenção da COVID-19 serão cumpridos.

Foto: Jonathan Lins/Seduc.
Após um ano e seis meses, o retorno das aulas 100% presenciais está previsto para o mês de outubro nas escolas estaduais de Itaituba, sudoeste do Pará.

A informação foi repassada, na última segunda-feira (13), por Ribamar Almeida, Diretor da 12ª Unidade Regional de Educação (12ª URE).

No dia 2 de agosto, as aulas retornaram de maneira híbrida e 25% presenciais. Porém, por decisão própria de pais e alunos, esse percentual vem aumentando gradativamente e já alcança 50%, o dobro da porcentagem exigida inicialmente, relatou Ribamar. 

Durante as aulas, todos os protocolos de biossegurança para a prevenção da COVID-19 estão sendo cumpridos. Além disso, a Prefeitura Municipal de Itaituba (PMI) providenciou diversos materiais de higiene, como pia nos corredores e totens de álcool. 

Ainda conforme o diretor, todas essas medidas deverão ser mantidas na retomada 100% presencial, para evitar a propagação do vírus e, consequentemente, contaminação dos envolvidos no processo de ensino.


On News / Plantão 24horas News

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Após decisão, STF reabre inscrições do Enem

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começam nesta terça-feira (14) e podem ser feitas até 26 de setembro.

Foto: Reprodução
As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 começam nesta terça-feira (14) para os estudantes de baixa renda que tiveram isenção de taxa na edição do exame em 2020 e não compareceram às provas. Elas podem ser feitas na Página do Participante , sem que seja necessário justificar a ausência no Enem 2020 ou pagar a taxa de inscrição.

O prazo vai até 26 de setembro e as inscrições são exclusivas para o Enem impresso. Os isentos ausentes no Enem 2020 também poderão solicitar, até 27 de setembro, o atendimento especializado e tratamento pelo nome social.

Para esse público, as provas do Enem 2021 serão aplicadas em 9 e 16 de janeiro de 2022, mesma data da realização do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL).

A aplicação das provas nos dias 21 e 28 de novembro de 2021 está mantida para todos os participantes que já tiveram a inscrição confirmada no exame, conforme previsto no edital regular. Ao todo, 3.109.762 pessoas foram confirmadas para o Enem 2021, nas duas versões do exame, impressa e digital. Esse foi o menor número de inscrições desde 2005.


Agência Brasil

quinta-feira, 9 de setembro de 2021

MEC quer adiar Enem após STF pedir reabertura de inscrições

Decisão unânime do Supremo reabriu prazo de pedido de isenção, o que pode afetar logística do exame nacional em 2021.

Foto: Reprodução
Previsto para acontecer entre 21 e 28 de novembro de 2021, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pode ser adiado e até ficar para o ano que vem por conta da reabertura do prazo de pedido de isenção do pagamento da taxa de inscrição. A decisão foi tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), com a maioria dos ministros votando a favor.

O caso foi analisado após solicitação de partidos e entidades que apontaram exclusão de estudantes devido ao método de inscrição definido pelo Ministério da Educação (MEC).

Na última etapa do Enem, no início deste ano, pouco antes da 2ª onda da covid-19 no Brasil, foram concedidas 3,6 milhões de isenções por declaração de carência. Na edição atual, apenas 822.854 pedidos de isenção foram aceitos. O motivo é a determinação do governo Jair Bolsonaro que exige que os faltosos da última edição apresentem algum documento que justifique a ausência para que possam receber novamente a isenção. A medida fez com que o número de inscritos caísse 46%, os mais afetados foram os estudantes pobres e negros.

Segundo técnicos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela realização do Enem, disseram que, se a decisão do Supremo for confirmada, as novas inscrições causarão um atraso no cronograma da prova, uma vez que é preciso abrir o prazo para que os candidatos façam o pedido de isenção da taxa de R$ 85.

Ainda segundo eles, a entrada de mais inscritos também exigiria novas operações de organização, como a distribuição dos novos alunos entre locais de prova e salas. Técnicos calculam quase 30 dias de atraso, o que pode tornar impossível a realização da prova na data marcada. Assim, a prova ficaria próxima do Natal, período em que os Correios - responsáveis pela distribuição das provas pelo País - ficam sobrecarregados. Assim, seria possível haver um adiamento para 2022.

Uma alternativa seria conceder a isenção aos candidatos que já fizeram a solicitação e tiveram o pedido negado - sem precisar reabrir o sistema de inscrições. Essa opção agilizaria a logística, mas continuaria excluindo jovens que sequer tentaram pedir a isenção porque julgaram que não seria concedida.

O Inep ainda precisará avaliar a melhor forma para conduzir o processo.


Correio 24 horas

Ufopa anuncia retorno de atividades semipresenciais em outubro

Retorno presencial de atividades na Universidade deve ocorrer de forma gradual, considerando o cenário da pandemia da Covid-19.

Foto: Reprodução
As atividades semipresenciais devem ser retomadas gradualmente na Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) já no mês de outubro em todos os campi. O processo de retorno de atividades administrativas e acadêmicas ocorrerá após a elaboração de planos.

Para a elaboração desses planos, algumas diretrizes são apontadas, como: espaço físico e adequação ao Plano de Biossegurança da Ufopa; rotinas de trabalho com a possibilidade de haver atividades presenciais e também remotas; servidores que estão em grupos de risco; e levantamento de servidores vacinados.

A Gestão Superior da Ufopa coordena o processo de retorno das atividades, que passa pela avaliação da pandemia, organização interna e retorno de forma processual.

A partir da Instrução Normativa nº 24, de 31 de agosto de 2021, a Gestão Superior prorrogou até o dia 30 de setembro a Instrução Normativa nº 13, de 3 de novembro de 2020, que dispõe sobre as medidas de prevenção à Covid-19, necessárias ao retorno gradual semipresencial das atividades administrativas e acadêmicas da Ufopa.

Essa instrução determina a obrigatoriedade da elaboração dos Planos de Retomada das Unidades, que vem sendo realizada e deverá ser concluída até o dia 10 de setembro. Esses planos serão analisados pelos conselhos superiores, que vão deliberar sobre execução desses planejamentos, possivelmente, a partir de outubro de 2021.

Calendários letivos

Desde novembro de 2020, a partir da Resolução nº 334 do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Ufopa, foi organizado o retorno do calendário letivo 2020.1 (paralisado em março de 2020) para fevereiro deste ano. Em setembro, a Ufopa conclui o calendário acadêmico 2020.2.

A resolução, de acordo com as medidas nacionais de enfrentamento da pandemia, estabelece limites para a realização de atividades presenciais. Por isso, os núcleos docentes estruturantes (NDE) dos cursos planejaram os dois períodos com atividades totalmente remotas.

No mês de outubro próximo, inicia-se o calendário letivo 2021.1, que deverá ocorrer com atividades remotas e presenciais, o que também está previsto da Resolução nº 334 e é objeto de discussão permanente na Universidade. A princípio, estas atividades presenciais devem ser limitadas àquelas que ficaram suspensas durante a pandemia, como aulas de campo e práticas de laboratório.

Medidas de segurança

Além de equipamentos de segurança necessários aos ambientes da Universidade, como EPI (Equipamentos de Proteção Individual) e álcool 70%, há a adequação dos espaços das unidades administrativas e também para as atividades acadêmicas.

A análise dos Planos de Retomada ocorrerá no dia 14 de setembro, durante reuniões do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), pela manhã, e do Conselho Superior de Administração (Consad), à tarde.

A professora Aldenize Xavier, vice-reitora da Ufopa, esclarece que, desde o início da pandemia, a Universidade se prepara para este retorno presencial a partir de várias ações sempre construídas com os conselhos superiores, gestores de unidades, coordenadores de cursos e núcleos docentes estruturantes (NDE), e monitorando por meio do Plano de Biossegurança.

“Este esforço coletivo da nossa comunidade acadêmica possibilitou muitas entregas, como a inauguração de 40 novas salas inteligentes totalmente equipadas para este momento de cenário seguro de aulas híbridas. Os equipamentos de intermediação nas salas de aulas contam com computadores, webcams e mesas digitalizadoras. Também destacamos a adesão do Sistema Integrado de Gestão Acadêmica (Sigaa), com ferramentas como a sala de aula do Google e a própria sala de aula desenvolvida pelo nosso Centro de Tecnologia de Informação (Ctic)", disse a professora Aldenize.

Haverá também medidas de biossegurança como a marcação de assentos, rotatividade de alunos, subdivisão de turmas presenciais com remoto. Com relação às aulas de campo, há a possibilidade de testagem de alunos e servidores, um arranjo necessário, principalmente para os alunos concluintes, que precisam integralizar o curso.

"Estas ações permitem que sejam realizados trabalhos sob as perspectivas remota e híbrida, e em alguns casos até mesmo totalmente presencial”, disse professora Aldenize.

A Ufopa e suas soluções de prevenção e combate à Covid-19

No caso específico do Laboratório de Biologia Molecular (Labimol), que realiza desde março de 2021 a testagem molecular para o diagnóstico de Covid-19 a toda a comunidade acadêmica, o fluxo para testagem molecular da Covid-19 na comunidade está disposto na Instrução Normativa nº 18 – Reitoria, de 22 de março de 2021.


G1 Santarém

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Maioria do STF vota por reabrir prazo para isenção de taxa do Enem 2021

Pelo edital, candidato que faltou ao Enem em 2020 só terá isenção em 2021 se justificar falta. Para relator, medida pode gerar retrocesso na inclusão social.

Foto: Reprodução

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (3) maioria de votos a favor de suspender a exigência de justificativa da falta para que candidatos fiquem isentos do pagamento da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021.

Pelo edital, o candidato que faltou ao Enem em 2020 só terá a isenção da taxa em 2021 se justificar por que faltou. Partidos e entidades, então, acionaram o Supremo questionando a regra.

O julgamento acontece em plenário virtual, no qual os ministros inserem os votos no sistema eletrônico do STF. O prazo termina às 23h59 desta sexta.

A ação apresentada por partidos e entidades argumenta que os candidatos que faltaram ao Enem 2020 porque estavam com sintomas de Covid, por exemplo, perderiam o direito à isenção da taxa.

"Ao promover odiosa exigência aos estudantes necessitados da isenção, o edital [...] surpreende a todos ao ignorar o contexto pandêmico no qual ainda se encontra o país. Mais do que isso, ao assim proceder, subtrai dos estudantes o direito fundamental de acesso à educação", diz a ação.

Ainda no pedido, partidos e entidades argumentam que a medida é "discriminatória" e acentua as desigualdades sociais.

"A decisão do Ministério da Educação de inviabilizar o pedido de isenção de taxa para os candidatos ausentes impedirá o ingresso no ensino superior de inúmeros estudantes pobres, o que viola o direito social à educação", diz o pedido.

"É de se destacar que a medida fere o direito à igualdade, pois aos candidatos ausentes no Exame realizado em 2020, mas que possuem condições financeiras de arcar com o custo da taxa de inscrição, será assegurado o direito de disputar uma vaga nas instituições de ensino superior brasileiras", completa.


G1

quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Gabaritos do Encceja 2020 são divulgados nesta quarta-feira (1º)

Participantes realizaram exame no último domingo (29), em busca da certificação do ensino fundamental e médio.

Foto: Reprodução

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga os gabaritos das provas objetivas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2020, nesta quarta-feira (1º). 

Os Cadernos de Questões também serão disponibilizados na mesma data. O Inep aplicou o Encceja 2020 no último domingo (29) nas 27 unidades da Federação, em 622 municípios.


Inep

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

MEC divulga resultado da lista de espera do Prouni 2021

Programa oferece bolsas de 50% e 100% em universidades particulares.

Foto: Reprodução

O Ministério da Educação divulgou nesta sexta-feira (20), o resultado da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni) relativo ao segundo semestre de 2021. Os selecionados no programa podem receber bolsas de 50% ou 100% em instituições de ensino superior particular de todo o país. O resultado está no site do programa na internet.

A próxima etapa para os candidatos pré-selecionados é a comprovação das informações prestadas, por meio da apresentação de documentação exigida, o que deverá ser feito a partir da próxima segunda-feira (23). Os candidatos devem ficar atentos porque esse prazo termina na sexta-feira (27).

No segundo semestre de 2021, o programa oferece 134.329 bolsas de estudo - 69.482 integrais e 64.847 parciais - em mais de 10 mil cursos de quase mil instituições particulares de ensino superior.

Critérios

Para obter uma bolsa integral, o interessado precisa comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. No caso de bolsas parciais (50%), é preciso comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa da família, de até três salários mínimos.

 

Agência Brasil

terça-feira, 17 de agosto de 2021

Abertas as inscrições para lista de espera do ProUni

Resultado sai nesta quarta-feira (18).

Foto: Reprodução

Estudantes que não foram selecionados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) terão uma última chance de entrar este ano. Nesta terça (17) e quarta-feira (18) estão abertas as inscrições na lista de espera.

O resultado será divulgado na próxima quarta-feira (20). Os selecionados no programa podem receber bolsas de 50% ou 100% em instituições de todo o país.

Documentação

Segundo o Ministério da Educação, os selecionados nessa etapa terão entre os dias 23 e 27 de agosto para comprovar as informações prestadas por meio de documentação. No segundo semestre de 2021, o programa oferece 134.329 bolsas de estudo - 69.482 integrais e 64.847 parciais - em mais de 10 mil cursos de quase mil instituições particulares de ensino superior.

Critérios

Para obter uma bolsa integral, o interessado precisa comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. No caso de bolsas parciais (50%), é preciso comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa da família, de até três salários mínimos.


Agência Brasil

segunda-feira, 16 de agosto de 2021

Sisu 2021: matrículas para o segundo semestre se encerram nesta segunda

Candidatos que não foram selecionados na chamada regular podem se inscrever na lista de espera. Resultado deve ser divulgado em 18 de agosto e as matrículas começam dia 19.

Foto: Reprodução

Os aprovados no processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para as instituições públicas de ensino superior têm até esta segunda (16) para fazer a matrícula. O resultado foi divulgado na terça-feira (10) e o período de matrícula começou no dia seguinte.

O programa oferece neste segundo semestre 62.365 vagas em instituições públicas de ensino superior por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Os candidatos que não foram contemplados na chamada regular podem se inscrever na lista de espera do programa também até esta segunda (16). O resultado será divulgado no dia 18, e a convocação para matrícula, no 19 (confira o calendário completo abaixo).

Como o Sisu funciona?

O Sisu seleciona candidatos que fizeram a prova do Enem e tiraram nota superior a 0 na redação.

No momento da inscrição, o aluno pôde escolher até duas opções de curso no sistema. Agora, o sistema do MEC divulga quais alunos inscritos em cada curso ficaram em melhores colocações e garantiram a vaga desejada. Esta colocação é feita a partir da nota do Enem de cada candidato e da nota de corte do curso escolhido.

Se o candidato for:

  • aprovado nas duas opções de curso: poderá se matricular apenas na primeira;
  • aprovado só em uma das duas opções: terá direito a se matricular nela, sem a alternativa de participar da lista de espera;
  • em nenhuma das opções: se quiser continuar tentando entrar na universidade pelo Sisu, pode se inscrever na lista de espera para a primeira OU a segunda opção.

Lista de espera

A lista de espera concede vagas remanescentes de um dos cursos escolhidos a alunos que não foram contemplados na chamada regular do processo seletivo. Para ser considerado nesta fase, é preciso demonstrar interesse no portal do MEC após a abertura do processo. Esta fase ficará disponível até esta segunda (16).

Ao final deste prazo, a lista de espera é enviada às universidades, que ficam responsáveis pelas chamadas. Assim, os candidatos devem acompanhar as divulgações das instituições de ensino. O resultado será divulgado em 18 de agosto, e a convocação para matrícula, no dia 19.

Como fica o calendário

  • 11 a 16 de agosto: Matrícula da chamada regular
  • 10 a 16 de agosto: Cadastro na lista de espera
  • 18 de agosto: Resultado da lista de espera
  • 19 de agosto: Convocação para matrícula da lista de espera.


G1

terça-feira, 10 de agosto de 2021

Inep divulga cartão de confirmação e local das provas do Encceja

Exame que oferece certificação para jovens e adultos será aplicado no dia 29 de agosto para mais de 1,6 milhão de inscritos.

Foto: Reprodução

Os participantes do Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos) 2020 já podem conferir os locais onde realizarão as provas. O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) disponibilizou o Cartão de Confirmação de Inscrição nesta terça-feira (10) no site do exame. O exame será aplicado no dia 29 de agosto.

No cartão, o participante pode confirmar a data e o horário da prova, assim como o número de inscrição. O documento também registra se o participante deve ser tratado pelo nome social ou contar com atendimento especializado, caso essas solicitações tenham sido feitas e aprovadas. Apesar de não ser obrigatório, o Inep recomenda levar o cartão no dia da aplicação do exame.

Mais de 1,6 milhão de participantes estão confirmados para o Encceja 2020. Ao todo, 301.438 farão provas para obter certificação de ensino fundamental e 1.328.608, do ensino médio. A participação é voluntária, gratuita (para quem não faltou à última edição) e destinada a jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada.

R7 Notícias

sexta-feira, 6 de agosto de 2021

Inscrições para o Sisu 2021 terminam hoje

Quem não conseguir ser selecionado pode entrar na lista de espera, entre 10 e 16 de agosto. O resultado dessa lista será divulgado no dia 18, com a convocação para a matrícula no dia 19.

Foto: Reprodução

Os estudantes aprovados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) precisam estar atentos. Acaba hoje (6) o prazo para a inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) no segundo semestre. O procedimento deve ser feito pelo portal do Sisu, no site do Ministério da Educação.

Ao todo, 62.365 vagas em instituições de ensino superior estão sendo oferecidas neste semestre. O resultado da chamada regular deve ser divulgado na próxima terça-feira (10). A matrícula deverá ser feita de 11 a 16 de agosto.

Pode participar do Sisu quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e tenha tirado nota acima de zero na redação. A seleção é feita com base nas notas que o candidato tirou na prova, mas o método de escolha varia conforme o curso e a instituição. Isso porque os pesos das notas em cada matéria são diferentes conforme a área de interesse.

Durante a inscrição, o candidato pode escolher até dois cursos superiores, com a possibilidade de alterar as opções até o encerramento das inscrições. Como a nota de corte de cada curso é atualizada diariamente, o estudante ainda não selecionado precisa ficar de olho para acompanhar as mudanças.

Em relação à política de cotas, cada instituição de ensino tem critérios próprios para a distribuição das vagas. Algumas universidades adotam a seleção opções separadas: uma para o público geral e demais modalidades separadas por raça, renda ou rede escolar. Outras fazem uma lista unificada, concedendo pontos extra a candidatos que façam parte do regime de cotas.

Agência Brasil

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Após Assembleia, Sintepp decide que manterá aulas na modalidade remota no Pará

 

Segundo a coordenação, o retorno só deveria acontecer após o ciclo completo de imunização contra à covid-19.

Crédito: Marcelo Seabra / Agência Pará

Na manhã desta quarta-feira (04), em uma assembleia geral convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp), os professores da rede estadual decidiram suspender as aulas presenciais e pedir pela manutenção de aulas exclusivamente online. Segundo a coordenação, o retorno só deveria acontecer após o ciclo completo de imunização contra à covid-19.

Segundo o Coordenador Geral do SINTEPP, Professor Beto Andrade, é necessário que todos os professores sejam imunizados completamente antes de retornar às salas de aula. "Um dos aspectos centrais das orientações dadas pelo governo são inexequíveis, que voltemos 100% às nossas atividades. Não teríamos tempo de preparar as aulas e seguir atividades remotas e presenciais ao mesmo tempo, não temos como fazer as duas atividades”, comentou. “O formato que foi colocado para as atividades escolares, não é um formato exequível para esse momento", finalizou.

O coordenador explicou que a partir da próxima segunda-feira (09), as aulas retornam unicamente ao formato remoto. Até a sexta-feira (06), dessa semana os educadores estarão nas escolas explicando a situação à comunidade escolar.

A volta as aulas presenciais no Pará começaram na última segunda-feira, 2, de forma híbrida e com baixa adesão dos estudantes. A decisão de retornar, segundo o Governo do Estado, foi tomada com base na queda no número de casos da covid-19 no Pará.

Roma News

Publicidade

Responsive Full Width Ad