Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Publicidade
Publicidade
✆ 93 9 9211 0226
WhatsApp
WhatsApp

Mostrando postagens com marcador Parcerias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Parcerias. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Bolsonaro nega que tenha interferido na PF: “Nunca pedi que blindasse a mim ou alguém da minha família”

O presidente Jair Bolsonaro  negou ter tentado interferir na Polícia Federal (PF) como disse o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, ao anunciar sua demissão do governo.

“Nunca pedi para ele [Moro] que a PF me blindasse onde quer que fosse”, disse Bolsonaro.

Ele disse que também “nunca pedi[iu] que blindasse alguém da família.”



O presidente afirmou que pediu informações sobre as atividades da PF a Moro para ‘poder tomar decisões.

“Nunca pedi a ele o andamento de qualquer processo até porque com ele a inteligência perdeu espaço na Justiça.”

Guedes e os demais ministros em apoio a Bolsonaro

Segundo informações internas em Brasília, os ministros do governo Bolsonaro almoçaram juntos nesta sexta-feira, 24.

O encontro aconteceu no Ministério da Cidadania para discutir e foi para discutir a reação em torno da saída de Sergio Moro.


Onyx Lorenzoni, Paulo Guedes, Abraham Weintraub, Ernesto Araújo estiveram no almoço.

Outros ministros também marcaram presença.

A ideia do grupo é manter o apoio ao presidente Jair Messias Bolsonaro.

Da Redação
Conexão Politica

Será que é uma jogada de xadrez de Moro com Bolsonaro

Em 1º de novembro deste ano, o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), deixará os trabalhos na Corte e abrirá uma vaga que deve ser preenchida por um jurista indicado pelo presidente Jair Bolsonaro. O cargo é um dos que provocam intensa cobiça no chefe do Executivo. A depender do nome que indicar, pode aumentar sua força no Poder Judiciário.

O posto na mais alta instância da Justiça é tema de declarações e promessas de Bolsonaro desde a campanha eleitoral. Mello deixará a Corte porque fará 75 anos, limite para permanecer entre os integrantes do plenário. Essa será a primeira indicação de Bolsonaro, já que, em 2021, quem sairá de cena será o ministro Marco Aurélio Mello, também pelo critério de idade.


De acordo com a previsão constitucional, o indicado pelo presidente para integrar o Supremo deve ter mais de 35 anos, notável saber jurídico e ser alguém de reputação ilibada, ou seja, sem condenações na Justiça ou fatos que possam entrar em contradição com a importância social e as atribuições de um integrante do tribunal.

O presidente deve confirmar o nome do indicado com poucas semanas de antecedência, mas com tempo hábil para que o candidato passe por uma sabatina no Senado, que tem o poder de chancelar ou vetar a escolha do presidente da República. Nos bastidores, Bolsonaro já conversa com interlocutores e faz avaliações de cenários possíveis sobre quem tem o perfil desejado por ele para ocupar a cadeira.

Diante de decisões que desagradaram o Executivo, como a criminalização da homofobia e a revogação da autorização para prisão a partir de condenação em segunda instância, o que resultou na soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Bolsonaro passou a cogitar escolher para a Corte alguém com perfil ideológico pró-governo. Ele chegou a dizer que um dos indicados, provavelmente o que ocupará a vaga de Celso de Mello, será evangélico.

As declarações causaram mal-estar entre os ministros do STF e juristas de todo o país. “Eu tenho duas vagas para o Supremo Tribunal Federal. Uma será de um evangélico. Se somos laicos, eu sou cristão. No Supremo Tribunal Federal, não é porque é evangélico apenas, vai ter que ter conhecimento jurídico, obviamente. Mas vai ao lado desse indicado um fato a oferecer: ser cristão, ou melhor dizendo, evangélico”, declarou ele, durante um culto na Assembleia de Deus de Manaus, em novembro.

Relevância
Atualmente, quem desponta para a vaga é o atual advogado-geral da União, André Mendonça. Além de evangélico, ele é respeitado no meio jurídico e visto como uma pessoa de perfil técnico e moderado. Um ministro do Supremo, além de chamar a atenção da sociedade, está sempre envolvido em julgamentos de relevância nacional, muitas vezes polêmicos, e suas declarações têm grande influência. Se errar na escolha, Bolsonaro pode ser cobrado até a próxima eleição, em 2022, o que tem potencial para gerar um grande desgaste em sua imagem e perda de apoio entre os eleitores.

Outro nome que está no radar do presidente é o do atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira. Amigo de Bolsonaro há mais de 10 anos, ele tem a confiança do chefe do Executivo e se aproximou ainda mais dele após ganhar um cargo no Planalto. Atualmente, não encontra rejeição entre eleitores e apoiadores do presidente. No entanto, a tendência é a de que ele seja indicado para a vaga do ministro Marco Aurélio, que deixará o Supremo em julho de 2021.

Da Redação
CB 

“Um grande equívoco”, diz Moro sobre troca na PF

Sergio Moro disse que tentou, ao máximo, evitar a troca no comando da PF, mas Bolsonaro foi irredutível em demitir Maurício Valeixo.

“Busquei postergar essa decisão, às vezes até sinalizando que poderia concordar com essa possibilidade no futuro”, disse Moro.
“Mas cada vez mais me veio a sinalização de que seria um grande equívoco realizar essa substituição.”


Sergio Moro revela que Jair Bolsonaro nunca lhe deu uma razão objetiva para a troca de Maurício Valeixo.

“O presidente passou a insistir na troca do diretor-geral. O que eu sempre disse: presidente não tenho nenhum problema para trocar o diretor da PF, mas preciso de uma causa. E uma causa relacionada à insuficiência de desempenho, erro grave… mas o que vi foi um trabalho bem feito.”

Assessoria
Da Redação

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Senadores querem pensão especial para profissionais que atuam contra covid-19

Profissionais que atuam diretamente nas ações de enfrentamento ao novo coronavírus, como os da saúde e os da segurança pública, poderão receber pensão especial. É o que estabelecem projetos de lei que tramitam no Senado, como os que foram apresentados pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Marcos do Val (Podemos-ES).

De acordo com o PL 2.031/2020, de Randolfe, terão direito a pensão especial os profissionais da área da saúde, de nível técnico ou superior, que tenham exercido sua atividade presencialmente em hospitais ou unidades semelhantes. Médicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, assistentes, técnicos, entre outros, poderão requisitar a pensão especial a qualquer momento, por meio de requerimento administrativo formulado pelo próprio profissional comprovando sua atuação durante a pandemia. O benefício corresponderá ao valor do piso nacional da categoria ou do salário mínimo, caso o primeiro seja inexistente.


A proposta permite também o acúmulo do valor com outros rendimentos recebidos do Poder Público sem que se desrespeite o limite do teto remuneratório do serviço público, além de estender seu alcance aos dependentes em caso de morte do beneficiário.

Caberá ao Executivo federal estimar o montante da renúncia fiscal a ser prevista na programação orçamentária anual descrita como Indenizações e Pensões Especiais de Responsabilidade da União.

Para Randolfe, a medida é um reconhecimento do Estado aos que atuam na linha de frente da crise e arriscam suas próprias vidas e de seus familiares.

Caberá ao Executivo federal estimar o montante da renúncia fiscal a ser prevista na programação orçamentária anual descrita como Indenizações e Pensões Especiais de Responsabilidade da União.

Para Randolfe, a medida é um reconhecimento do Estado aos que atuam na linha de frente da crise e arriscam suas próprias vidas e de seus familiares.

“Estamos enfrentando uma verdadeira guerra contra a doença, e nada mais justo que os profissionais de saúde tenham tratamento semelhante ao dos ex-combatentes da Segunda Guerra Mundial, beneficiados com pensão especial pela Lei 8.059, de 1990”, comparou o senador ao justificar a proposta.

Indenização
O outro projeto, apresentado pelo senador Marcos do Val (Podemos-ES), estabelece a concessão de pensão especial, em caráter indenizatório, aos dependentes dos profissionais da segurança pública e da saúde que vierem a falecer no exercício de sua atividade de enfrentamento à covid-19.

Conforme o PL 2.038/2020 a indenização será mensal, vitalícia e intransferível e estará condicionada à apresentação da documentação exigida em regulamento próprio a ser definido caso o projeto seja sancionado. Para a comprovação da situação do beneficiário, será admitida a ampla produção de prova documental e testemunhal e, caso necessário, prova pericial.

A medida determina também que a pensão especial não poderá ser inferior ao salário mínimo e não prejudicará outros repasses de natureza previdenciária, proibindo qualquer redução de valor em razão de eventuais acúmulos de benefícios. Conforme o texto, o pagamento da primeira parcela da indenização será efetuado até 30 dias após a data da sua concessão e seu reajuste será feito anualmente seguindo a atualização do salário mínimo.

Marcos do Val explicou que a indenização deve ser tratada como responsabilidade civil do Estado de ressarcir terceiros pelos danos que lhes foram causados em razão da pandemia.

“A pandemia do novo coronavírus tem abrangência planetária e uma dimensão desconhecida pelos contemporâneos que não presenciaram a chamada 'gripe espanhola', constituindo para o Poder Público e toda a sociedade brasileira um desafio grandioso para superar as suas consequências, haja vista a sua elevada morbidade e letalidade”, justificou.  

Os dois projetos ainda aguardam a designação de relator e a deliberação dos líderes partidários para tramitação e análise por meio de votação remota.

Fonte: Agência Senado

Exclusivo Ministro da Infraestrutura: “Não paramos em lugar nenhum”

Em live promovida neste momento pelo BTG Pactual no YouTube, o ministro da Infraetrutura, Tarcísio Gomes Freitas, garantiu a continuidade do cronograma de obras e os preparativos para novas concessões do governo deferal..

“Não paramos obras sob responsabilidade do ministério em lugar nenhum”, disse Freitas. Ele acrescentou que continua atuando em projetos para atrair investimentos. “Mantivemos a estruturação dos projetos de concessão.”


O ministro chamou a atenção para o lançamento, nesta quarta-feira (22) em Brasília, do programa Pró-Brasil de recuperação econômica pós-covid-19. O programa tem dois eixos: progresso e ordem.

O eixo progresso é para investimentos em obras públicas e estímulo a parcerias com o setor privado, em áreas como desenvolvimento regional, energia, logística, mineração, transporte e telecomunicações. O eixo ordem, segundo Freitas, tem o objetivo de “tornar a regulação mais fácil”, sem ser “intervenção no ambiente de negócios”. Entre as medidas está previsto um novo desenho para atuação das agências reguladores e a revisão do licenciamento ambiental, o que depende do Congresso Nacional.
De acordo com Freitas, a atuação do governo respeita as premissas do ajuste fiscal.Para ele, a economia proporcionada com a reforma da Previdência Social e com a queda de juros foi importante para o país ter melhores condições de enfrentar a crise provocada pela pandemia do novo coronavíruos.

Em sua apresentação, o ministro da Infraetrutura ainda assinalou as medidas de logística que foram tomadas pelo governo para garantir a circulação de mercadorias e de trabalhadores em atividades essenciais logo no início das paralisações provocadas pela covid-19. “Não adianta ter o mercado aberto se o produto não chega à prateleira”, lembrou Tarcísio Freitas.

Com informações, Agência Brasil.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

A serviço da esquerda, anti cristão Toffoli derruba censura contra Porta dos Fundos e Netflix

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decidiu nesta quinta-feira atender ao pedido da Netflix e derrubou a censura imposta pelo desembargador Benedicto Abicair, da 6.ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Sob a alegação de “acalmar ânimos”, o desembargador havia determinado a retirada do ar de um especial de fim de ano do grupo humorístico Porta dos Fundos que retrata Jesus Cristo como homossexual.

Toffoli derruba censura contra Porta dos Fundos e Netflix

O filme, disponibilizado para os usuários da plataforma, mostra Jesus como um homossexual que se envolve com Lúcifer, além de Maria trair José com Deus. A polêmica em torno da obra ganhou novos contornos após um atentado semanas atrás contra a sede da produtora do Porta dos Fundos, no bairro de Humaitá, na zona sul do Rio. Dois coquetéis molotov foram lançados contra as instalações.

Ao acionar o Supremo, a Netflix alegou que a decisão do TJ do Rio “tem efeito equivalente ao da bomba utilizada no atentado terrorista à sede do Porta dos Fundos: silencia por meio do medo e da intimidação”.

A reclamação é um tipo de processo em que se alega que uma decisão da Suprema Corte está sendo desrespeitada por instâncias inferiores. No caso, a Netflix sustenta que o Supremo já deixou claro em julgamentos que são inconstitucionais quaisquer tipos de censura prévia e restrições à liberdade de expressão.

"Por ser assim, as referidas ordens judiciais devem ser prontamente suspensas e, ao final, cassadas, de forma a resguardar a liberdade de expressão da reclamante, em sua dimensão de liberdade de criação artística e de programação", alegou a Netflix ao Supremo.

A plataforma informou o STF que não seleciona o conteúdo a ser assistido por seus assinantes, mas “se limita a disponibilizar os mais diversos temas, assuntos e gêneros para que os usuários livremente optem pelo que desejem assistir, concedendo-lhes total liberdade de escolha”A empresa ressaltou que o vídeo do grupo humorístico já possui classificação indicativa para maiores de 18 anos e é “indexado como sátira, comédia e humor ácido”.

O processo foi sorteado no STF para ficar com o ministro Gilmar Mendes, mas foi decidido por Toffoli, responsável pela análise dos casos considerados urgentes durante o plantão do tribunal. O Supremo só retoma regularmente suas atividades no mês que vem.

Bienal. Em setembro do ano passado, em outro caso de grande repercussão pública, Toffoli suspendeu uma decisão do TJ fluminense que permitia a apreensão de uma história de quadrinhos com beijo gay na Bienal do Livro.

O Globo
Da Redação 

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Deputado Coronel Chrisóstomo lidera reunião de empresários com Jair Bolsonaro

Na manhã desta terça-feira (30), uma comitiva de empresários rondonienses liderada pelo deputado federal Coronel Chrisóstomo (PSL-RO), foi recebida pelo presidente da república Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto.  Na pauta a solicitação de ações para o fortalecimento e expansão de setores como mineração, pecuária, no cultivo da soja e da bacia leiteira do estado e de obras estruturantes como os portos de Guajará-Mirim e Costa Marques.


De acordo com o deputado Coronel Chrisóstomo, solicitante da audiência, o momento reflete o compromisso do governo Bolsonaro como o desenvolvimento do estado de Rondônia.

“Nunca houve um momento como este na história do nosso estado. Essa reunião tem o objetivo de apresentarmos ao presidente nossas principais demandas em diversos setores essenciais para alavancarmos o crescimento de Rondônia, como a pavimentação da BR-421 importante para o desenvolvimento da bacia leiteira.”, declarou o deputado.


“O Brasil está em um novo ritmo, e quanto menos o estado se meter em questões que devem ser essencialmente empresariais melhor. Daremos o prosseguimento necessário para ”, afirmou o presidente Jair Bolsonaro. 

Para o empresário César Cassol a audiência é significativa, pois dará uma nova dinâmica para os negócios em Rondônia. “Com o resultado dessa audiência, brilhantemente orquestrada pelo deputado Coronel Chrisóstomo, nós poderemos avançar em questões essenciais como a criação do porto internacional de Guajará- Mirim e Costa Marques, que permitirá uma parceria comercial maior com países vizinhos como a bolívia”, disse o empresário



Participaram  da Audiência os ministros da Infraestrutura, Tarcíso de Freitas, Ministra da Agricultura, Teresa Cristina, Ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque e o Ministro da Secretaria de Governo Luiz Eduardo Ramos, o vice-governador de Rondônia Zé Jodan e os prefeitos de Porto Velho Hildon Chaves, Guajará - Mirim  Cícero Noronha e de Costa Marques, Mirandão.

Da Redação
Assessoria de Imprensa

Marido mata mulher na frente dos filhos em condomínio de Porto Velho

Marido mata mulher na frente dos filhos em condomínio de Porto Velho. O caso aconteceu na manhã desta quinta-feira (8), no condomínio Total Vile I, na Zona Sul de Porto Velho. O homem esfaqueou a mulher durante uma discussão.

Marido mata mulher na frente dos filhos em condomínio de Porto Velho

Os filhos do casal presenciaram toda a ação. O homem também ficou ferido e foi levado para o Hospital e Pronto Socorro João Paulo II. A mulher não resistiu aos ferimentos e morreu no apartamento. O rabecão já removeu o corpo para o IML.

Assessoria
Da Redação

PF descobre desvios de R$ 1,1 milhão em obra do prédio da PRF em PVH

Dez mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos nesta quinta-feira (8) em dois estados através da operação “Pare e Siga”, deflagrada pela Polícia Federal (PF) para investigar desvios financeiros na construção da nova sede da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Rondônia. Os mandados são cumpridos em Porto Velho, Ji-Paraná (RO) e Manaus.

PF descobre desvios de R$ 1,1 milhão em obra do prédio da PRF em PVH

Os desvios apurados até agora, segundo a PF, chegam a R$ 1,1 milhão e a obra deve ficar R$ 14 milhões mais cara do que o previsto. Também há suspeitas de irregularidades na contratação de uma nova empresa para realizar o levantamento do que falta ser executado na construção.

A operação é realizada em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF). A Justiça Federal também determinou o afastamento cautelar do cargo do atual superintendente regional da PRF de Rondônia, Bruno Ferreira Malheiros, além do bloqueio e sequestro de bens e o afastamento do sigilo bancário de envolvidos.

Assessoria
Da Redação

Rondônia doa 6 toneladas de peixe para Festival Tambaqui da Amazônia em Brasília

Cerca de 6 toneladas de peixe assado serão distribuídas durante o Festival Tambaqui da Amazônia, nesta quarta-feira (7), em frente ao Ministério da Agricultura, em Brasília. Para receber o peixe, é necessário doar um quilo de alimento não perecível. A distribuição começa às 12h.

Rondônia doa 6 toneladas de peixe para Festival Tambaqui da Amazônia em Brasília

A iniciativa é uma parceria entre o Governo do Distrito Federal (GDF), o governo de Rondônia (RO), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e a Secretaria Nacional da Pesca. O peixe foi doado pela Associação de Criadores de Peixes do Estado de Rondônia (Acripar) e veio em um caminhão frigorífico. Ao todo, serão servidas quatro mil bandas do pescado, dizem os organizadores.

Segundo o Ministério da Agricultura, a ideia surgiu do “Churrasco de Tambaqui”, evento realizado há três anos em Ariquemes, em Rondônia. O GDF afirma que o objetivo da ação é promover o consumo do tambaqui junto à população do Distrito Federal. Segundo o Executivo local, a aquicultura é uma atividade relativamente recente na região, mas que vem apresentando taxas de crescimento significativas.

Em 2001, havia 214 criadores de peixes no DF. No ano passado, esse número já havia saltado para 594. Ao todo, é produzida, em média, 1,5 tonelada de pescados na aquicultura local.

Serviço
Festival Tambaqui da Amazônia

Data: 7 de agosto
Horário: 12h
Local: Em frente ao Ministério da Agricultura, na Esplanada dos Ministérios

quinta-feira, 21 de março de 2019

Força-tarefa da Lava acaba de prender Michel Temer e faz buscas por Moreira Franco

Mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da Justiça Federal do Rio de Janeiro. A Força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta quinta-feira (21), Michel Temer, ex-presidente da República. Os agentes ainda tentam cumprir um mandado contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia.


Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Desde quarta-feira (20), a Polícia Federal (PF) tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou.

Por Arthur Guimarães, Paulo Renato Soares e Marco Antônio Martins, TV Globo e G1 Rio


quinta-feira, 29 de novembro de 2018

O que é o toque fantasma no iPhone X e qual a solução

Depois de vários meses de reclamações em redes sociais e fóruns de tecnologia, empresa reconheceu problema na tela do smartphone. Veja que saída a Apple oferece aos usuários. Lançado no ano passado, o iPhone X foi o smartphone mais caro (US$ 999. No Brasil, o aparelho é encontrado à venda por uma média de R$ 5.500) em dez anos de história da Apple. Mas o celular que a empresa americana vendeu com o slogan "um salto à frente" deu um enorme passo para trás quando dezenas de clientes começaram a reclamar de uma falha conhecida como "toque fantasma".

O que é o 'toque fantasma' no iPhone X e qual a solução oferecida pela Apple

Nos fóruns online da Apple, multiplicavam-se as queixas sobre o assunto: há centenas de resultados quando se procura pelo termo em inglês "ghost touch" na página de suporte técnico da empresa. Trata-se de uma falha curiosa que afeta a tela do aparelho - a primeira da Apple a ser desbloqueada sem botão de início - e que gera um efeito no qual uma espécie de dedo invisível parece mover-se à vontade por ícones de aplicativos, por exemplo.

Em outros casos, a tela não responde ou funciona de forma irregular.  

"Meu iPhone X ficou praticamente inutilizável devido ao toque fantasma. Tentei reiniciá-lo várias vezes, mas está ficando cada vez pior. Podem me ajudar?", escreveu um usuário chamado Lewis no site da Apple em agosto deste ano.

Um dos técnicos da empresa respondeu com o link de uma página de ajuda na qual a Apple sugere a reinicialização do dispositivo "se a tela não responder ao toque". Ele não ofereceu outras soluções no caso de a reinicialização não funcionar.

No site Reddit - que reúne grupos de discussão sobre diversos assuntos - há também dezenas de comentários sobre o problema. Em alguns deles, os clientes da Apple se dizem "irritados", "furiosos" e até "enojados". Mas, após vários meses de controvérsia na internet, a empresa reconheceu o problema.

A resposta da Apple

"A Apple determinou que algumas telas do iPhone X podem sofrer problemas de toque devido a um componente que pode falhar no módulo da tela", informou a empresa em um comunicado publicado em seu site na última sexta-feira.

A empresa de tecnologia diz que, nos dispositivos afetados, a tela - ou parte dela - não responde imediatamente ao toque ou reage mesmo quando não é tocada. Em ambos os casos, a empresa lançou um programa de substituição gratuita da tela em lojas da Apple ou fornecedores autorizados.  A oferta é válida apenas para os iPhone X que foram afetados pela falha. A empresa compromete-se a mantê-la em vigor por um período de três anos. A empresa também diz que se o usuário já mandou consertar o smartphone por conta própria, pode pedir reembolso. 

Antecedentes

Esta não é a primeira vez que os celulares da Apple enfrentam críticas. Uma das últimas controvérsias da Apple tem a ver com o caso "Chargegate", que abrange os problemas com as baterias dos novos smartphones iPhone XS e XS Max, que têm problemas para carregar.

Houve também controvérsia sobre a lentidão deliberada de alguns modelos de iPhone depois de atualizações de software, algo que a Apple reconheceu pela primeira vez em 2017 e justificou como uma maneira de gerenciar o envelhecimento inevitável de baterias de íons de lítio.

"Nosso objetivo é proporcionar a melhor experiência aos nossos clientes", disse a empresa. 

"A Apple sempre foi muito boa em administrar expectativas. Este é um exemplo de como eles arruinaram (isso)", escreveu Nick Heer, desenvolvedor de blogs de tecnologia.

Outros analistas acusaram a empresa de "falta de transparência".

Desta vez, não houve muitas explicações sobre o "componente" que causa a falha do iPhone X, mas uma substituição gratuita foi oferecida.

Em 2016, o iPhone 6 Plus também apresentou complicações com a tela sensível ao toque. No entanto, a empresa cobrou US$ 149 a seus clientes para consertar o defeito.

Por BBC

'Guerra' balança preço do Bitcoin com risco de racha nas criptomoedas

Futuro do Bitcoin Cash está sendo disputado em um confronto que mede o poder de mineração de cada lado.  Uma "batalha virtual" vem sendo travada desde quinta-feira (15) para decidir o futuro da criptomoeda Bitcoin Cash (BCH), uma derivação do Bitcoin criada com o intuito de tornar a moeda mais utilizável no dia a dia. A moeda passa por reformulações periódicas, mas, desta vez, dois grupos divergem sobre o que deve ser modificado. Um dos grupos prometeu tentar forçar a rede a adotar a sua versão da moeda utilizando um "ataque de 51%".

'Guerra' balança preço do Bitcoin com risco de racha nas criptomoedas

O Bitcoin, que estava cotado a US$ 6,3 mil na quarta-feira (14), baixou para US$ 5,3 mil em menos de 24 horas. A moeda segue por volta dos US$ 5,6 mil neste sábado (17). O Bitcoin Cash, a moeda que está em disputa, caiu de US$ 520 para US$ 400 e muitas das casas de câmbio ("exchanges") de criptomoedas congelaram envios, recebimentos, depósitos e saques em Bitcoin Cash.

O "ataque de 51%" é uma fragilidade intencional do Bitcoin e da rede blockchain usada pelo Bitcoin. Nessa rede, as transações são incluídas em "blocos" que devem trazer uma solução para um problema matemático em um processo chamado de "mineração". O desafio matemático existe para garantir que a somatória do poder de processamento dos participantes da rede decida, de maneira democrática, os "caminhos" do Bitcoin.

Porém, quando um só indivíduo ou grupo hegemônico possui mais que 51% de todo o poder de processamento que soluciona o cálculo exigido pelos blocos da rede, esse grupo tem força para determinar a maioria dos blocos válidos, criando a possibilidade do "ataque de 51%".

Com essa capacidade, alguém poderia evitar a criação de blocos que não aderem a um determinado padrão, por exemplo. Mesmo que um bloco seja criado fora desse padrão por outras pessoas, o poder de processamento de 51% garante que, vez ou outra, dois blocos serão resolvidos em sequência por esse grupo controlador, isolando blocos criados por outras pessoas da rede.

Com isso, eles estariam ditando as regras da rede e também monopolizando as "recompensas de bloco" -- as moedas fornecidas como "prêmio" a quem soluciona cada bloco. Na rede do Bitcoin e seus derivados, cada bloco precisa referenciar o anterior. Quando muitos blocos são processados seguindo um certo padrão, a rede naturalmente se estabelece sobre esse "pilar", ainda que, no futuro, o responsável pelo ataque de 51% não detenha mais esse poder.

Por causa da disputa, não se sabe se haverá apenas um Bitcoin Cash ou até se a moeda pode ficar dividida para sempre, passando a existir dois Bitcoin Cash. O desfecho pode demorar "semanas", segundo a exchange Coinbase, uma das mais relevantes do mercado. A empresa não forneceu nenhuma previsão para reativar negociações em Bitcoin Cash.

ABC contra SV

Craig Wright, uma figura conhecida no mundo das criptomoedas por ter afirmado que era Satoshi Nakamoto, o criador do Bitcoin (uma alegação que ele depois desistiu de provar), promoveu uma versão do Bitcoin Cash denominada "BitcoinSV". SV significa "Satoshi's Vision" ("Visão do Satoshi") e supostamente aproxima o Bitcoin Cash dos objetivos expostos no artigo que deu origem ao Bitcoin, criado pela figura de Satoshi Nakamoto. A identidade real de Nakamoto é desconhecida até hoje.

Wright conta com o apoio de Calvin Ayre, um bilionário do ramo de apostas on-line, dono do grupo de mineração Coingeek. Do outro lado está o BitcoinABC, cujo desenvolvimento é liderado por Amaury Séchet. Séchet conta com o apoio de Roger Ver, um notório investidor em criptomoedas dono da Bitcoin.com, e Jihan Wu, cofundador da Bitmain, uma fabricante de equipamentos de mineração.

Wright afirma que Séchet e seus apoiadores estão ditando as regras do Bitcoin e centralizando a administração da moeda com suas mudanças programadas no protocolo. Ele promete que o BitcoinSV não sofrerá novas modificações, exceto por uma mudança no tamanho do bloco que permite que o Bitcoin processe mais transações por minuto. 

Apoiadores do BitcoinABC criticam Wright por estar tentando impor sua visão à comunidade e criando um racha que prejudica as moedas. No campo técnico, há uma divergência sobre uma mudança conhecida como "CTOR", que flexibiliza a ordem das transações dentro dos blocos, e da possibilidade de adicionar conexões externas com outras redes de criptomoedas. O BitcoinABC defende uma maior flexibilização no Bitcoin. Wright alega que as mudanças não trazem os benefícios desejados e que é preciso seguir a visão delineada por Satoshi Nakamoto.

O BitcoinABC chegou a abrir uma vantagem de 30 blocos na frente do SV. Essa vantagem caiu para 10 e, neste sábado, estava entre 15 e 20, de acordo com o site "Coin Dance".

Guerra teria custo milionário

O processamento responsável por solucionar o cálculo matemático exigido pelos blocos de Bitcoin tem um alto custo de energia elétrica. Hoje, esses custos são pagos com as "recompensas do bloco" -- as moedas que são distribuídas aos "mineradores" responsáveis por cada bloco.

Para disputar o Bitcoin Cash, parte do poder de processamento hoje direcionado ao Bitcoin original foi redirecionado para o Bitcoin Cash, especialmente para o BitcoinABC.  Porém, como o Bitcoin Cash vale menos de 1/10 do Bitcoin original, desviar esses recursos acarreta em perdas financeiras, já que o Bitcoin Cash não é nem mesmo capaz de cobrir os custos de energia elétrica desses equipamentos. Segundo a Coingeek, esse desvio pode estar custando US$ 14 milhões por dia aos apoiadores do BitcoinABC.

Caso a guerra se prolongue, Wright ameaçou "queimar" suas reservas em Bitcoin para conseguir financiar esses custos e chegou a dizer que o preço do Bitcoin poderia cair para US$ 1.000. 

Por que tanto interesse no Bitcoin Cash?

O Bitcoin Cash é uma derivação do Bitcoin original. Ele difere do Bitcoin tradicional em certos pontos, principalmente no que se refere à capacidade de transações. Realisticamente, o Bitcoin é capaz de quatro ou cinco transações por segundo, o que torna a moeda inviável para aplicações globais.

O Bitcoin Cash foi criado em 2017 para resolver esse problema. Defensores acreditam que, com a possibilidade de adoção e uso real da moeda, o valor dela pode superar o valor do Bitcoin original, cujas limitações técnicas podem impedir a adoção da tecnologia para pagamentos cotidianos.

Embora existam propostas alternativas para esse problema que não envolvam a criação de outra "moeda" (sendo a Lightning Network a solução de maior destaque), ainda não foi possível colocar em prática nenhuma dessas soluções.

Por Altieres Rohr

Caiu no golpe da promoção falsa d'O Boticário? Veja o que fazer

Blog tira dúvidas sobre golpe no WhatsApp, recuperação de senha no Google e restauração de sistema no Motorola Moto G6.

Caí no golpe da promoção falsa d'O Boticário, e agora?

Oi, Ronaldo! Eu recebi no WhatsApp uma mensagem sobre uma promoção d'O Boticário em que para receber o brinde era necessário responder a um questionário e depois compartilhar o anúncio com 10 amigos. Eu fiz tudo isso, e só depois descobri que fui vítima de um golpe. E agora? — Amanda

Caiu no golpe da promoção falsa d'O Boticário? Veja o que fazer

Olá, Amanda! Esse golpe tem sido recorrente, apenas mudando o brinde oferecido. Na prática ele não é perigoso, desde que você não tenha instalado algum app indicado na mensagem e fornecido dados pessoais (número de documentos, senha, informações bancárias). Os golpistas criam uma página interativa em que a vítima é induzida a prosseguir respondendo perguntas simples e compartilhando a promoção com os seus contatos. Essa tática tem como finalidade atrair acesso a uma página falsa, que está repleta de anúncios. A monetização do golpe ocorre por causa dos acessos ao site; ao acessá-lo o seu aparelho não corre o risco de ter alguma praga virtual instalada. Se você preferir, é possível realizar o reset das configurações originais de fábrica: esse procedimento serve para eliminar completamente qualquer app malicioso que possa ter sido instalado acidentalmente. A empresa já se posicionou sobre o uso de um de seus produtos na fraude, confira aqui a nota de esclarecimento.


Como acelerar a recuperação da senha do Google?

Olá, Ronaldo! Eu esqueci a minha senha da conta no Google, fiz a solicitação de redefinição mas deram a previsão de até 5 dias para o envio do código de segurança. Existe alguma maneira de eu acelerar esse processo? — Fausto

Olá, Fausto! O processo do Google para a verificação de segurança demora entre três a cinco dias. Infelizmente não existe uma maneira manual que acelere a geração de um código de acesso para o cadastramento de uma nova senha.

Como redefinir as configurações originais de fábrica no Motorola Moto G6?

Eu preciso redefinir as configurações originais de fábrica no Motorola Moto G6, mas não estou conseguindo. Você poderia me ajudar? — Mari

Olá, Mari! Para você realizar o reset de fábrica, siga os passos descritos abaixo:

Desligue o aparelho;
Pressione simultaneamente o botão "Power" e a tecla de "Volume-";
Pressione a tecla de "Volume-" e localize a opção "Recovery" e selecione usando a tecla "Volume+";
Pressione a tecla de "Volume-" vá até a opção "wipe data/factory reset" e selecione com a tecla "Power";
Confirme a redefinição das configurações de fábrica selecionando a opção "Yes — delete all user data";
Selecione a opção "Wipe cache partition". Pressione a tecla "Power" e selecione a opção "Reboot System Now";

Ao término do processo, o seu celular estará com as configurações originais de fábrica restauradas, e pronto para ser usado normalmente. Mas vale salientar que todas as informações armazenadas na memória do aparelho serão perdidas.

Por Ronaldo Prass

Vendas na 'Cyber Monday' sobem 20% no Brasil, diz Ebit|Nielsen

As vendas do comércio eletrônico atingiram R$ 372 milhões, As vendas do comércio eletrônico do Brasil na segunda-feira (26) subiram 20,7% na comparação anual, atingindo R$ 372 milhões, com avanços no número de encomendas e no valor médio das compras, informou nesta terça-feira a empresa de pesquisa de mercado Ebit|Nielsen.

Vendas na 'Cyber Monday' sobem 20% no Brasil, diz Ebit|Nielsen

Segundo a companhia, o valor médio das compras subiu 15,7% sobre o ano passado, para R$ 494, enquanto o número de encomendas avançou 4%, para R$ 752 mil. O desempenho ocorreu após a empresa apurar um crescimento de 23% nas vendas do varejo online durante a Black Friday, na semana passada, para R$ 2,6 bilhões.

Considerando o movimento de quinta-feira (22), quando varejistas fizeram ações promocionais para antecipar a Black Friday, a Ebit|Nielsen afirmou que o valor faturado pelas empresas foi de R$ 3,92 bilhões, alta anual de 24%.

"A Black Friday é individualmente a data mais importante do ano para o ecommerce e faz parte do período do Natal, período de maior faturamento. Esse resultado deve contribuir para que o ecommerce feche 2018 com crescimento bem consistente", disse em comunicado Ana Szasz, líder comercial para Ebit|Nielsen.

Já a empresa de meios de pagamentos Cielo afirmou que o volume de vendas do varejo como um todo entre quinta-feira e domingo mostrou crescimento de 11,2% ante mesmo período de 2017. A empresa não informou valores, mas afirmou que o crescimento registrado em 2017 tinha sido de 8,8%.

Por Reuters


PM abre processo administrativo contra policial flagrado levando dinheiro de banco assaltado

A Polícia Militar do Piauí vai apurar as circunstâncias da prisão do policial preso ao ser flagrado recolhendo dinheiro de agência bancária atacada por criminosos, em Bacabal (MA), no domingo (25).

A Polícia Militar do Piauí (PM-PI) abriu um processo administrativo contra o policial André dos Anjos Santos, preso ao ser flagrado recolhendo o dinheiro da agência do Banco do Brasil após o ataque de criminosos no domingo (25), em Bacabal (MA). Ao G1, o comandante da PM, coronel Lindomar Castilho, informou que a Polícia Civil do Maranhão vai enviar informações sobre a prisão.

PM abre processo administrativo contra policial flagrado levando dinheiro de banco assaltado

O policial, que é lotado no 13º Batalhão da Polícia Militar de Teresina, continua preso no Maranhão. “Já solicitamos informações para o delegado responsável pelo caso. O André não teve participação no assalto. Ele, juntamente com outras pessoas, pegou parte do dinheiro deixado pelos criminosos após o assalto”, informou o coronel Lindomar Castilho.

“Foram naquela história de que achado não é roubado, mas pela lei não é assim que funciona. Isso é apropriação indevida, furto e ele vai responder à Justiça do Maranhão por isso. Aqui, como ele é um policial, vai passar pelo processo administrativo”, completou o comandante.

PM abre processo administrativo contra policial flagrado levando dinheiro de banco assaltado

No momento da prisão, André dos Anjos informou aos policiais que é militar e que estava de folga, que estava na cidade para ministrar aulas de geografia. De acordo com o coronel Lindomar Castilho, as informações passadas pelo policial serão verificadas durante a investigação da polícia do Maranhão e durante o processo administrativo da corporação.

Por Lucas Marreiros, G1 PI

Publicidade

Responsive Full Width Ad