Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Publicidade
Publicidade
✆ 93 9 9211 0226
WhatsApp
WhatsApp

Mostrando postagens com marcador Política. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Política. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 7 de maio de 2020

“O país conseguiu conduzir essa situação”, diz Tofolli sobre o combate ao covid-19

O presidente do STF, Dias Toffoli, disse ao presidente Jair Bolsonaro, Paulo Guedes e aos empresários, nesta quinta (7), que também entende que o Brasil precisa começar a discutir um plano para a retomada da atividade econômica, segundo o portal O Antagonista.


“A semana que vem completamos dois meses [de crise]. O país conseguiu conduzir muito bem essa situação”, afirmou o presidente do STF. “Apesar daquilo que aparece na imprensa, a verdade é que as instituições funcionaram, os ministérios funcionaram, o SUS funcionou.”, disse o ministro.

Toffoli falou na possibilidade de criação de um “comitê de crise envolvendo a federação, os Poderes, junto com o empresariado, os trabalhadores”.

“O que os senhores trazem aqui é a necessidade de termos um planejamento. Eu já disse publicamente isso e já conversei com o presidente. Um planejamento que seja organizado na volta da economia e do crescimento”.

Emendas do Deputado Federal Capitão Alberto Neto já foram liberadas e prefeituras no interior do Estado já trabalham no combate ao Covid-19.

Mais de 4 milhões já foram liberados para as ações de combate ao Coronavírus no interior do Estado. Neste primeiro momento os municípios contemplados com o recurso do parlamentar foram: Itamarati, Caapiranga, Juruá, Canutama, Maués e Urucurituba. Os recursos estão sendo liberadas gradativamente.


Para combater o novo coronavírus, o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos/AM), já destinou R$ 26.139.051,36 milhões em emendas individuais impositivas e de bancada, para ações em combate ao Covid-19, para Municípios e Capital do Amazonas. 

Recursos liberados 

Itamarati - R$ 500 mil
Caapiranga - R$ 500 mil
Juruá - R$ 500 mil
Canutama - R$ 640.744,00
Maués - R$ 1.285.039,00
Urucurituba - R$ 900 mil 

Ações no interior

O município de Caapiranga distante 133.65 km de Manaus, recebeu R$ 500 mil reais para a aquisição de medicamentos, material de EPIs e álcool em gel. 

Juruá distante 672 Km de Manaus, também recebeu R$ 500 mil reais para aquisição de insumos e medicamentos para o combate ao Covid-19.

Bolsonaro e Toffoli se reúnem para discutir sobre o retorno da economia

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu, nesta quinta-feira (7), com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, ministros e empresários para debater a situação econômica do país.

Bolsonaro destacou a necessidade de reabrir o comércio para evitar um iminente “colapso econômico”.


Segundo o chefe do executivo, o “remédio não pode ser pior que a doença”.

Ele destacou algumas medidas ‘radicais’ que foram tomadas por alguns estados e municípios.

Bolsonaro disse que não é dessa forma que o país deve seguir.

“O clamor que os empresários trazem tem um valor simbólico também. Nós devemos nos preocupar com vida sim, mas também com empregos, por que economia é vida. Em um país onde a economia não anda, a expectativa de vida vai lá para baixo”, afirmou.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, concordou e disse temer que economia a colapse, a exemplo do que ocorre na Venezuela, caso o setor continue parado.

“Nós temos dois, três meses, que podíamos estar protegendo a economia, a renda das pessoas, mas a informação que nós tivemos é que talvez os sinais vitais (da indústria) não consigam ser preservados por muito tempo. Quando a indústria nos passou esse quadro (início de um colapso), não queremos o risco de virar uma Venezuela”, completou.

Ministro Tarcísio pede “Paz para trabalhar”

Ele pediu “trégua” e “paz política” para que o governo Jair Bolsonaro possa dar passos firmes

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, pediu “paz para trabalhar”. Ele pediu “trégua” e “paz política” para que o governo Jair Bolsonaro possa dar passos firmes na superação da pandemia de coronavírus. 


Durante debate promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), nesta terça-feira (05) o ministro destacou a importância do Plano Pró-Brasil:

“Acredito muito no Plano Pró-Brasil, que ele funcione como um pacto pela infraestrutura. Esse plano pode ser o plano que vai nos unir, que vai unir o Congresso, vai unir o Tribunal (TCU), vai unir o Judiciário, vai unir o Executivo. Precisamos de uma trégua, precisamos de paz para trabalhar, de paz política para que a gente possa dar passos firmes na direção da superação da crise e na direção da geração de emprego.”

terça-feira, 5 de maio de 2020

Bolsonaro revela conversa com Moro e acusa ex-ministro de vazamentos

O presidente Jair Bolsonaro mostrou a jornalistas, na tarde desta terça-feira (5), o trecho de uma troca de mensagens dele com o ex-ministro Sergio Moro, por aplicativo de celular, para comprovar que ele não estava tentando interferir na Polícia Federal (PF). Ele também disse que o ex-ministro divulgou informações reservadas do governo para a imprensa. Moro deixou o cargo de ministro da Justiça sob a justificativa de que o presidente estaria tentando a PF com objetivos políticos.


“O Sergio Moro foi correndo entregar o telefone para a Globo. Inclusive, ele tinha peças de relatórios pessoais de coisas que eu passava para ele. Entregar para a Globo isso? Isso é um crime federal, talvez em curso na Lei de Segurança Nacional”, afirmou o presidente na entrada do Palácio da Alvorada, residência oficial.

O presidente se referia a uma troca de mensagens revelada pelo ex-ministro ao Jornal Nacional, da TV Globo, no último dia 24 de abril. De acordo com a reportagem da emissora, Bolsonaro teria enviado uma matéria do site O Antagonista para o ex-ministro para justificar o pedido de troca de comando da Polícia Federal. A matéria do site falava sobre a investigação, em inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), de “10 a 12” parlamentares aliados do governo.

“Isso [a reportagem] realmente eu passei pra ele”, disse o presidente. Em seguida, ele mostrou parte da troca de mensagem entre os dois na qual Sergio Moro classifica como “fofoca” a notícia sobre a investigação de parlamentares aliados do presidente. “É sinal que ele teve acesso ao processo, e diz que é fofoca”, acrescentou o presidente.

Bolsonaro também disse que o ex-ministro vazava informações que poderiam ter caráter confidencial. “Eu confiava nele, tanto é que passava passava extrato de informações com chefes de Estado e com inteligência de fora do Brasil”.



Investigação no STF
Na declaração a jornalistas, na porta do Alvorada, o presidente também comentou sobre o depoimento de Sergio Moro à Polícia Federal, no último sábado (2), em que o ex-ministro teria entregado documentos para tentar comprovar a tentativa de interferência do presidente na PF. O depoimento de Moro segue sob sigilo no âmbito inquérito aberto pelo STF, mas Bolsonaro disse que poderia se reunir com o advogado, ainda hoje, para debater sobre as acusações formalizadas.

“Vou ler com atenção o processo, talvez esteja o meu advogado hoje a noite aqui, para poder responder as demais acusações. Se bem, pelo que parece, em nenhum momento ele fala que eu cometi crime. E sim, o MP [Ministério Público], o ministro do Supremo, que é o dono do inquérito, deve me investigar, ouvir ministros e outras pessoas para dizer se talvez eu cometido um crime”, afirmou Bolsonaro.

O presidente voltou a afirmar que não tentou interferir na PF. Segundo ele, na última reunião de ministros com a participação de Sergio Moro, no dia 23 de abril, ele cobrou relatórios de inteligência de todas as forças de segurança do governo, não apenas da PF.

“Eu cobrei do serviço de inteligência da Aeronáutica, da Marinha, do Exército, da Abin [Agência Brasileira de Inteligência]…cobrei da Polícia Federal, relatórios de inteligência. Eu cobrei de público, tinha uns 20 ministros presentes, mais presidentes de bancos. Cobrei relatórios de inteligência, para que eu quero relatório de inquérito? Minha vida esta aí à disposição de vocês. Não tem acusação de corrupção [contra mim]”.

Com informações, Agência Brasil.

segunda-feira, 4 de maio de 2020

Ministro da Saúde visita hospitais em Manaus e agradece a população pela confiança

Nesta segunda-feira, mais de 250 profissionais de saúde, contratados pelo Ministério da Saúde, chegaram ao estado do Amazonas para reforçar o atendimento à população e passam por capacitação

Nesta segunda-feira (4), o ministro da Saúde, Nelson Teich visitou hospitais na capital Manaus (AM) e se reuniu com autoridades locais para acompanhar de perto as ações desenvolvidas no enfrentamento à COVID-19. Desde o início da pandemia no Brasil, o Ministério da Saúde destinou R$ 68,8 milhões ao estado para o fortalecimento da rede hospitalar e de vigilância, além do envio de 1,5 milhão de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e de 90 respiradores. O estado do Amazonas possui 7.242 casos e 584 óbitos, registrando uma das maiores taxas de incidência do país.


Acompanhado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, o ministro da Saúde visitou as instalações do Hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes, além do Hospital de Retaguarda Nilton Lina e Hospital Delphina Rinaldi Abdel Azir. “É uma situação única que o Brasil e o mundo estão vivendo. É uma doença que chega com uma capacidade enorme de sobrecarregar qualquer sistema do mundo. Mas tenho certeza que, trabalhando em conjunto, de forma planejada e estruturada, vamos ajudar a sociedade e fortalecer no nosso sistema de saúde”, destacou Teich.

Do total de recursos já repassados para o estado, R$ 47,9 milhões são referentes a uma parcela adicional paga mensalmente para cada estado e município em apoio a assistência hospitalar e de cuidados básicos (Teto MAC/ PAB) mensal. Outros R$ 20,4 milhões foram destinados ao estado por critérios populacionais e distribuídos para livre uso dos gestores locais. Mais R$ 150 mil foram enviados para apoiar a ampliação do horário de atendimento dos postos de saúde, por meio do programa Saúde na Hora. E outros R$ 269,6 mil foram pagos em incentivo para garantir que pacientes com suspeita ou confirmação para COVID-19 possam continuar tratamento de hemodiálise, de forma segura, com descarte de materiais.



APOIO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE
O Ministério da Saúde também distribuiu cerca de 1,5 milhão de Equipamentos de Proteção Individual para o estado do Amazonas, sendo 88.803 aventais descartáveis, 455.048 luvas, 79.800 máscaras N95, 488.800 máscaras cirúrgicas, 1.340 óculos de proteção, 4.500 sapatilhas e 337.500 toucas descartáveis, além de mais de 15 mil litros de álcool etílico.

Para fortalecer o sistema de saúde do estado, o Ministério da Saúde também habilitou 184 leitos de UTI Adulto e Pediátrico, em cinco hospitais em Manaus, para atender exclusivamente pacientes graves ou críticos com COVID-19. São eles: Hospital e Maternidade Chapot Prevost, Hospital Nilton Lins, Hospital Pronto Socorro 28 de Agosto, Hospital Universitário Getúlio Vargas e Hospital e Pronto Socorro da Zona Norte Delphina Aziz. Por cada leito, passam a ser pagos R$ 1,6 mil por diária do leito de UTI – o dobro do que normalmente é repassado. Foram enviados 90 respiradores para o Amazonas, sendo 35 ventiladores de transporte e 55 de UTI.




O estado amazonense recebeu ainda do Ministério da Saúde mais de 116 mil testes de diagnóstico sendo 40.768 RT-PCR (biologia molecular) e 75.320 testes rápidos.

O BRASIL CONTA COMIGO
Os 267 profissionais de saúde, contratados pelo Ministério da Saúde, para atuar no enfrentamento à COVID-19 chegaram ao estado do Amazonas nesta segunda-feira (4) e passam por capacitação. São 37 médicos, 118 enfermeiros, 57 técnicos em enfermagem, 26 fisioterapeutas, 12 farmacêuticos e 17 biomédicos. A capacitação inclui aulas teóricas e simulações práticas e segue até quarta-feira (06). Na manhã de hoje, participaram de palestra com os psiquiatras da Sociedade Brasileira de Psiquiatria – Regional Amazonas (SBP-AM), Jorge Akel e Cleber Naief, sobre os cuidados com a saúde mental. A partir de quinta (7), os profissionais começam o atendimento à população.

Estes profissionais se inscreveram na ação estratégica “O Brasil Conta Comigo”, que está cadastrando e capacitando profissionais, residentes e estudantes da área de saúde de todo o país para atuarem no atendimento à população diante da pandemia de coronavírus, em apoio aos estados e municípios que mais precisam. 

Além da estratégia “O Brasil Conta Comigo”, o Ministério da Saúde já havia enviado ao estado do Amazonas 29 voluntários da Força Nacional do SUS (FN-SUS), sendo 8 médicos, 19 enfermeiros e 2 fisioterapeutas para atuação temporária no enfrentamento à doença.

Por Tinna Oliveira e Bruno Cassiano, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa

Mudanças nas eleições de 2020

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, que é o futuro presidente Tribunal Superior Eleitora, afirmou em entrevista a GloboNews, neste domingo (3), que a data limite para a Justiça Eleitoral decida sobre o adiamento das eleições é no mês de junho.


– Esse marco para nós, da Justiça Eleitoral, é junho. Porque o sistema das urnas eletrônicas é muito seguro, até hoje nunca se demonstrou nenhum tipo de fraude. Nunca se apresentou uma prova. Mas ele é baseado em testes que nós fazemos, testes quanto à totalização, nós enviamos equipes aos TREs [Tribunais Regionais Eleitorais], nós precisamos treinar as pessoas, treinar os mesários. Portanto há um prazo técnico da Justiça Eleitoral – ressaltou.

O primeiro turno das eleições deste ano, que irão eleger prefeitos e vereadores, está marcado para o dia 4 de outubro.

O ministro explicou que irá conversar com os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), caso os testes não sejam realizados até a data limite.

Da Redação
CONEXÃO POLITICA

Senador condenado gasta R$ 18,3 mil em jatinho durante a pandemia

O senador condenado Acir Gurgacz, do PDT de Rondônia, que cumpre pena em regime aberto, gastou 18,3 mil reais da cota parlamentar para abastecer aeronaves no mês em que a pandemia da Covid-19 chegou ao Brasil, segundo o portal O Antagonista.

De acordo com o Portal da Transparência do Senado, houve quatro pagamentos no mês de março para o abastecimento de jatinhos — todos após a reunião no Congresso com ministros que marcou a mudança da rotina do país em meio ao avanço do novo coronavírus.


Em outubro de 2018, o senador pedetista foi preso por determinação da Primeira Turma do STF após condenação a 4 anos e 6 meses por desvio de finalidade na aplicação de empréstimo de banco público. Rapidinho, porém, ele conseguiu autorização para exercer o mandato durante o dia e dormir no presídio da Papuda, em Brasília, à noite.


Em maio do ano passado, Gurgacz passou a cumprir a pena em casa e a circular pelo Senado mais à vontade. E, como se vê agora, a voar de jatinho com dinheiro público durante uma pandemia.

Ministro Nelson Teich, Governador Wilson Lima e o Dep. Federal Capitão Alberto Neto estão trabalhando juntos, contra a pandemia



O ministro da Saúde, Nelson Teich, visitou o Hospital de Combate ao Covid-19, nesta segunda-feira (04/05), e afirmou que o local poderá ser ampliado com apoio do Governo Federal. Ele visitou a unidade de saúde acompanhado do governador Wilson Lima e avaliou que, antes de planejar um hospital de campanha, o Ministério da Saúde (MS) poderá ampliar a capacidade de atendimento na unidade. Atualmente, há 70 pacientes internados na unidade.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O Estado tem trabalhado com o Ministério da Saúde no planejamento estratégico para que a ampliação na estrutura de atendimento possa acontecer, não somente no Hospital Nilton Lins, mas também em outros espaços que precisam de recursos humanos. O Amazonas recebeu reforço de equipamentos e de mais de 200 profissionais do Programa Brasil Conta Comigo, que estão passando por capacitação nesta 
segunda-feira.⠀⠀⠀⠀⠀


Fonte: Governo do Estado do Amazonas⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Bolsonaro nomeia secretário da Abin para a direção-geral da PF

Uma hora após ser nomeado no Diário Oficial da União, o novo diretor da Polícia Federal, Rolando Alexandre, tomou posse do cargo no gabinete do presidente Bolsonaro, no terceiro andar do Planalto, nesta segunda (4), sem a cobertura da imprensa, segundo informação da Secretaria de Comunicação da Presidência.


A oficialização do nome de Rolando de Souza ocorre cinco dias depois de o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspender a decisão de Bolsonaro de nomear para o comando da PF o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o também delegado Alexandre Ramagem.

Antes, entre 2018 e 2019, Souza foi superintendente da PF em Alagoas. Ele também foi chefe do Serviço de Repressão a Desvio de Recursos Públicos e ocupou cargos de chefia na Divisão de Combate a Crimes Financeiros e na superintendência da PF em Rondônia.

Bolsonaro nomeia secretário da Abin para a direção-geral da PF

Ato foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União

O presidente Jair Bolsonaro nomeou o delegado Rolando Alexandre de Souza para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal (PF). O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União na manhã desta segunda-feira (4).


Souza ocupava a Secretaria de Planejamento e Gestão da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A nomeação do delegado ocorre após o Supremo Tribunal Federal (STF) suspender a nomeação e a posse de Alexandre Ramagem para a diretoria-geral da PF. Na decisão, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, citou declarações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro que, ao deixar o cargo, acusou o presidente Bolsonaro de tentar interferir politicamente no órgão.

Após a decisão de Moraes, o próprio presidente tornou sem efeito a nomeação do delegado e manteve Ramagem como diretor-geral da Abin, cargo que ocupa desde o início do governo.

Mourão abre o jogo sobre pressão contra o poder executivo

Vice-presidente demonstrou apoio ao Presidente Jair Bolsonaro

O vice-presidente Hamilton Mourão, afirmou em entrevista que “existe uma pressão muito grande em cima do Poder Executivo“, relacionado a decisão recente do Supremo Tribunal Federal quando anulou a decisão de Jair Bolsonaro na escolha do diretor-geral da Polícia Federal:


“Os casos mais recentes, que foi da nomeação do diretor-geral da Polícia Federal, a questão dos diplomatas venezuelanos eram decisões que são do presidente da República. É responsabilidade dele, é decisão dele escolher seus auxiliares, assim como chefe de Estado ele é o responsável pela política externa do país. Os Poderes têm que buscar se harmonizar mais e entender o limite da responsabilidade da cada um. Hoje existe uma questão de disputa de poder entre os diferentes Poderes, existe uma pressão muito grande em cima do Poder Executivo.”

Mourão também se expressou pelo Twitter:
“Neste momento em que se procura turvar o ambiente nacional pela discórdia e intriga, é importante deixar claro, como o presidente declarou ontem, que ninguém irá descumprir a Constituição. Agora, cada Poder tem seus limites e responsabilidades”, postou o vice-presidente.

domingo, 3 de maio de 2020

O Deputado Federal Capitão Alberto Neto e o Ministro da Saúde Nelson Teich, viajam para Manaus.

Estaremos de perto para verificar os problemas que o Estado vem enfrentando na saúde durante esse período de pandemia! disse: Dep. Federal Capitão Alberto Neto em seu Instagram.  



Atualmente, o estado do Amazonas está em situação crítica em relação ao combate ao novo coronavírus. Ao todo, há 6.062 casos confirmados da doença e 501. Do total de contaminados, pelo menos 1.279 são profissionais de saúde

Quero agradecer o presidente Jair Messias Bolsonaro e o Major Vitor Hugo pela ajuda do Governo federal que chegou ao Amazonas nesse final de semana.
Agradecer ao ministro Nelson Teich, que está visitando os hospitais e conhecendo de perto a nossa dura realidade.
É o primeiro Estado visitado pelo primeiro escalão do novo ministério.
Reforço federal de 267 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, biomédicos e fisioterapeutas. Sendo que 31 são de outros estados.
Reforço de 244 mil unidades de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), 25 respiradores do tipo invasivo, usados em leitos de UTI, e 20 respiradores, cilindros de oxigênio, medicamentos e álcool em gel.
Agradecer também ao secretário executivo do MS, general Eduardo Pazuello, que vem sendo um grande aliado do AM no combate ao Coronavírus.
disse o Deputado.

“Moro não era ministro, era espião”

O deputado federal Eduardo Bolsonaro voltou a questionar os delegados da PF que interrogaram o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba


No Twitter, ele escreveu:

“Realmente é preciso muito tempo dando depoimentos a delegados amigos para ver se acham algo contra Bolsonaro.”

E acrescentou:

“Moro não era ministro, era espião.”

Da Redação
Conexão Politica

Após mais de 8h, Moro conclui depoimento na Polícia Federal

O ex-ministro Sergio Moro concluiu seu depoimento no prédio da Polícia Federal em Curitiba neste sábado (2), no inquérito que apura as acusações que ele fez ao sair do governo Jair Bolsonaro. Ele continuava no local, mais de oito horas após ter chegado ao prédio.

Durante a manhã, a entrada do prédio da PF virou palco de protestos, com grupos em apoio ao ex-juiz da Lava Jato e outros a favor do presidente Jair Bolsonaro.


Moro chegou por volta das 13h15, mas entrou pelos fundos, frustrando a expectativa dos manifestantes. A chegada inflamou ainda mais os ânimos dos militantes pró-Bolsonaro, que na maioria gritou palavras de ordem contra o ex-ministro. Antes das 22h, foram pedidas pizzas no prédio da PF para servir equipes em meio ao depoimento.


ADVOGADO DE MORO
Moro foi prestar depoimento ao lado do advogado Rodrigo Sanchez Rios, que também defendeu alguns presos pela Lava Jato. Entre eles, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, além de ter trabalhado no escritório que defendeu Marcelo Odebrecht. A ligação foi ironizada por dois filhos do presidente Jair Bolsonaro em publicações em redes sociais.

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) escreveu “ué…” ao compartilhar publicação que dizia: “O advogado do Sergio Mentiroso é o mesmo advogado da Odebrecht”. O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) também distribuiu a mesma mensagem, com o comentário “Sem novidades!”.



sábado, 2 de maio de 2020

Bolsonaro lidera corrida para eleições de 2022 em todos os cenários, diz pesquisa

Presidente continua sendo o favorito.

O presidente Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto para as eleições presidenciais de 2022 em todos os cenários, segundo uma pesquisa divulgada neste sábado (2) pelo instituto Paraná Pesquisas.

Bolsonaro fica a frente de nomes como o do ex-ministro e juiz Sergio Moro, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, do PT.


Ele também aparece à frente de governadores como João Doria (PSDB), de São Paulo, e Wilson Witzel (PSC), do Rio.

A pesquisa foi realizada em todos os estados do país entre os dias 27 e 29 de abril.

De acordo com o levantamento, 2.006 pessoas foram ouvidas.

A margem de confiança é de 95%, e a margem de erro de aproximadamente 2% para mais ou para menos.

Confira os cenários

No cenário I, Bolsonaro teria 27% das intenções contra 18,1% de Moro.No cenário II, considerando uma hipotética candidatura de Lula, que não pode disputar eleições ou assumir cargos público por condenações na Justiça, Bolsonaro teria 26,3% dos votos contra 23,1% do petista.
No cenário III, Bolsonaro mostrou o melhor desempenho ao pontuar 29,1%.

Haddad aparece com 15,4%, Ciro Gomes com 11,1%, Luciano Huck com 8,1% e o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta 6,8%.

Sergio Moro chega para depor na PF sob vaias e protestos, Ex-ministro precisou entrar pelos fundos do prédio

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro chegou à Superintendência da Polícia Federal em Brasília por volta das 13h15 deste sábado (2). Na porta do prédio, um grupo de manifestantes aguardava Moro com faixas em apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Um pequeno grupo, no entanto, demonstrou estar ao lado do ex-ministro.

No entanto, Moro entrou pelos fundos, frustrando a expectativa dos manifestantes. A chegada inflamou ainda mais os ânimos dos militantes, que na maioria gritou palavras de ordem contra o ex-ministro.


Desde a manhã, com alguns momentos de tensão entre os dois grupos e ataques contra a imprensa, cerca de 50 manifestantes se aglomeram no local, que também já abrigou a vigília em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), enquanto ele estava preso.

De um carro de som, os militantes pró-governo, mais numerosos, cantaram o hino nacional e gritavam palavras de ordem contra Moro, chamado na maior parte do tempo de traidor.

– Não fomos nós, foi você que sujou sua biografia – discursou Marisa Lobo, uma das manifestantes.

Abordados pela reportagem da Folha, eles não quiseram dar entrevistas. Há idosos e crianças entre os militantes, que na maioria carrega bandeiras do Brasil e usa camisetas pró-Bolsonaro.

sexta-feira, 1 de maio de 2020

"Gostaria que todos voltassem a trabalhar”, diz Bolsonaro em live

"Gostaria que todos voltassem a trabalhar, mas quem decide não sou eu. São os governadores e prefeitos", disse nesta sexta-feira (1º) o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), do escritório dele no Palácio da Alvorada, durante um encontro informal com grupo de cerca de 20 apoiadores do setor agropecuário.


A mesagem foi passada nesta manhã durante uma transmissão ao vivo feita pela deputada Bia Kicis  (PSL).

terça-feira, 28 de abril de 2020

“Conto com o apoio do povo brasileiro”, diz o novo ministro da Justiça

O novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, deu sua primeira declaração no Twitter após assumir o cargo.

Mendonça agradeceu a confiança do presidente Jair Bolsonaro pela escolha e disse que conta com o apoio do povo brasileiro para a condução do cargo.


“Agradeço ao PR. Jair Bolsonaro por confiar a mim a missão de conduzir as políticas públicas de Justiça e Segurança do nosso país. Meu compromisso é continuar desenvolvendo o trabalho técnico que tem pautado minha vida. Conto com o apoio do povo brasileiro! Que Deus nos abençoe!”, publicou.

segunda-feira, 27 de abril de 2020

MBL: “Pedimos o impeachment de Bolsonaro”

O Movimento Brasil Livre (MBL) protocola hoje (27) o pedido de impeachment de Jair Bolsonaro.

Kim, um dos líderes do movimento e atualmente deputado federal, chegou a fazer menção do cofundador do PT, Helio Bicudo, que contribuiu na assinatura do impeachment da ex-presidente Dilma.


“O MBL cumpre agora o papel que o Helio Bicudo cumpriu no impeachment da Dilma”, disse.

Segundo ele, é preciso desconstruir a ideia que só simpatizantes da esquerda estão contra o presidente.

“Na minha avaliação, a maior parte da direita está contra o presidente da República”, reiterou Kataguiri.

E acrescentou:

“Cada vez fica mais evidente o derretimento das redes bolsonaristas. Agora, com a saída de Sergio Moro, você vê o engajamento maior da direita nas redes contra Bolsonaro.”

Da Redação
Conexão Política

Responsive Full Width Ad