Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Publicidade
Publicidade
✆ 93 9 9211 0226
WhatsApp
WhatsApp

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Mega-Sena sorteia nesta quarta prêmio acumulado em R$ 6,5 milhões

As apostas podem ser feitas até as 19h, no horário de Brasília.

Foto: Reprodução
A Mega-Sena sorteia, nesta quarta-feira (13), um prêmio acumulado em R$ 6,5 milhões.

As seis dezenas do concurso 2.418 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

A aposta mínima, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.


Agência Brasil

Trabalhadores nascidos em julho podem sacar auxílio emergencial

Parcela foi depositada em 28 de setembro.

Foto: Reprodução
Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em junho podem sacar a sexta parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro foi depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 28 de setembro.

Os recursos também podem ser transferidos para uma conta corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro apenas podia ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante sete meses, tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Regras

Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício.


Agência Brasil

terça-feira, 12 de outubro de 2021

Itaituba: Rede SuperAsa realiza ação especial para o dia das crianças

A primeira edição ocorreu em 2020 com a campanha "Criança Feliz" no Bairro Vitória Régia. Este ano, a ação ocorreu no Bairro Floresta.

Foto: Portal On News 
A Rede SuperAsa programou uma ação especial para o Dia das Crianças, nesta terça-feira (12), no Bairro Floresta, em Itaituba, sudoeste do Pará

É a segunda edição realizada para homenagear as crianças. Em 2020, a empresa entregou brinquedos e realizou degustação de petiscos através da campanha “Criança Feliz”, onde o Bairro Vitória Régia foi escolhido. 

Foto: Portal On News 
Este ano, a empresa entregou mais de 500 lembrancinhas com o objetivo de proporcionar a interação com o público infantil, e assim, tornar o dia mais especial. 

A programação ocorreu na Igreja Santa Luzia, da Paróquia Sant'Ana, repleto de diversas atividades infantis

Foto: Portal On News 

Para o empresário, Judson Lira, a realização dessas ações sociais são importantes para o grupo, já que é uma contrapartida para a aceitação da Loja SuperAsa Floresta e da Distribuidora Atacadista Asa Branca Frios no bairro da Floresta. 

Foto: Portal On News 
Ainda segundo o empresário, essas programações são necessárias para transformar positivamente a realidade de uma comunidade e que continuará com essas ações para os clientes e amigos do Grupo Asa. 


On News 

segunda-feira, 11 de outubro de 2021

Itaituba: Prefeitura constrói nova ponte sobre o rio itapacurá na comunidade Santa Rita

A antiga estrutura da ponte, que fica submersa, acabou se corroendo e oferecendo perigo para motoristas e viajantes.

Foto: Ascom/PMI
A prefeitura de Itaituba, sudoeste do Pará, iniciou as obras de construção de uma nova estrutura da ponte sobre o rio Itapacurá.

A localização da ponte é de aproximadamente 16 Km da sede do município e muitas pessoas se deslocam para Comunidade de Santa Rita para apreciar a paisagem e tomar banho nas águas do Rio Itapacurá. Desta forma, a estrutura da ponte, que fica submersa, acaba se corroendo e oferecendo perigo para motoristas e viajantes.

Foto: Ascom/PMI

Juntamente com a Secretaria de Infraestrutura (Seminfra), a prefeitura iniciou a obra e vai entregar em breve para a Comunidade, uma ponte nova que trará mais conforto e segurança para todos que trafegam na localidade.

Foto: Ascom/PMI


On News/PMI

Obesidade infantil: veja como criar ambientes saudáveis para as crianças e como identificar o excesso de peso

No dia Nacional de Prevenção da Obesidade, levantamento do Ministério da Saúde aponta que uma em cada três crianças com idade entre 5 a 9 anos estão acima do peso no Brasil. Se nada for feito, país pode estar na 5ª posição no ranking da obesidade infantil em 2030.

Foto: Reprodução
A obesidade é uma ameaça para a saúde pública global e é lembrada nesta segunda-feira (11), Dia Nacional de Prevenção da Obesidade.

Além dos problemas de saúde, a obesidade também está relacionada com a vida social e o bem-estar das crianças e adolescentes. Como criar crianças mais saudáveis? Quais os riscos do excesso de peso na infância? Veja 8 pontos sobre a obesidade:

  • Quais as causas?
  • Qual o cenário da obesidade no mundo?
  • O que fazer para melhorar o ambiente para a criança?
  • Como identificar a obesidade infantil?
  • Como criar hábitos saudáveis?
  • Quais os riscos da obesidade infantil?
  • Obesidade também afeta a saúde mental
  • Como é feito o tratamento?

1. As causas da obesidade

Se engana quem pensa quem a obesidade está ligada apenas à falta de exercício. Primeiramente, precisamos entender que é uma doença, não um desleixo.

A decisão de comer menos não está relacionada à força de vontade. "Existe uma região no nosso cérebro que regula essa nossa capacidade de tomar decisões, de dizer o 'não, obrigado'. Estudos já demonstraram que pessoas com obesidade têm uma diminuição do metabolismo cerebral nessa região. Mostra que elas têm um menor controle inibitório", explica a endocrinologista Cintia Cercato, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

A obesidade é uma doença multifatorial - o estilo de vida e fatores genéticos que influenciam a composição corporal. Falta de exercício físico, hábitos alimentares pouco saudáveis, sono insuficiente, estresse e aumento do tempo de tela podem aumentar o Índice de Massa Corpórea (IMC). Além disso, muitas crianças não têm acesso à alimentos mais saudáveis e são mais expostas.

"Não é só o ambiente e nem só a genética. É a junção dos dois. Há a predisposição genética, mas se a criança não estivesse em um ambiente que não fosse tão obesogênico, não ia crescer tanto os índices de obesidade infantil", pontua a endocrinologista.

A endocrinologista alerta que, em 40 anos, a obesidade infantil cresceu 1000% no mundo.

"Mas o que contribuiu para esse crescimento tão alarmante? Existem crianças que são geneticamente suscetíveis e o ambiente cada vez mais obesogênico, rico em alimentos ultraprocessados, uma redução da atividade física de um modo geral, isso vem fazendo com que a gente tenha esse crescimento", completa.

2. Qual o cenário da obesidade no mundo?

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que a prevalência de obesidade no mundo triplicou entre 1975 e 2016. Sobre os jovens, a organização diz que o número de crianças com excesso de gordura corporal pode chegar a 75 milhões até 2025.

Segundo o Atlas Mundial da Obesidade, o Brasil estará na 5ª posição no ranking de países com o maior número de crianças e adolescentes com obesidade em 2030, com apenas 2% de chance de reverter essa situação se nada for feito.

Já um levantamento de 2020 do Sisvan/Ministério da Saúde mostra que, no país, uma em cada três crianças com idade entre 5 e 9 anos estava acima do peso, sendo que 9% delas com obesidade e 5%, com obesidade grave.

3. Como melhorar o ambiente para a criança?

Melhorar a alimentação não depende só dos pais e da escola. É necessário investir também em ambientes mais saudáveis e políticas públicas de prevenção.

"Precisamos ter promoção de ambientes mais saudáveis para a população. Uma cidade mais segura para que as pessoas possam fazer mais atividades físicas. Precisamos de uma rotulagem adequada dos alimentos. Merendas escolares e cantinas precisam ter opções mais adequadas. E dentro de casa ter o hábito de cozinhar a 'comida de verdade'", sugere a presidente da Abeso.

Foto: Reprodução
4. Como identificar a obesidade infantil?

O cálculo mais usado para identificar a obesidade é o do IMC, que divide o peso do paciente pela sua altura elevada ao quadrado. Entretanto, muitas vezes ele é falho para crianças e adolescentes, já que eles estão em fase de crescimento.

Pesquisas mostram que os pais só identificam a obesidade nos filhos depois que eles já estão com excesso de peso.

"Na criança, como a altura muda a cada idade, você não tem ponto de corte. Às vezes, é mais difícil para os pais identificarem que a criança está com um sobrepeso ou risco de obesidade", diz Cercato.

5. Como criar hábitos saudáveis?

O trabalho começa desde a primeira infância. Os pais devem oferecer alimentos mais saudáveis desde a primeira refeição da criança e não devem desistir no primeiro 'não gosto'.

"A alimentação é um hábito aprendido. Os pais precisam apresentar os alimentos e oferecer desde cedo verduras e legumes. Caso a criança diga 'não gosto', eles devem oferecer de outras formas, seja no preparo".

Outro ponto importante é: criar rotinas. O comer deve ter hora e lugar, sem distrações como televisão, celular, tablet, videogame. E a refeição deve ser feita em família.

E tente sempre incluir a criança nas tarefas. Leve a criança para a cozinha, para ajudar a preparar a refeição, deixe a criança escolher os alimentos (saudáveis!) na feira ou no mercado.

6. Quais os riscos da obesidade infantil?

Crianças e adolescentes que vivem com obesidade têm maiores chances de desenvolver doenças como diabetes tipo 2 na vida adulta, AVC, hipertensão, câncer colorretal e doença cardíaca coronária.

Pessoas que vivem com obesidade têm 80-85% mais probabilidade de desenvolver diabetes tipo 2.

Além disso, segundo Cercato, 84% dos adolescentes que vivem com obesidade têm probabilidade de se tornarem adultos obesos.

7. Obesidade também afeta a saúde mental

Obesidade também está relacionada com a vida social/emocional, com bem-estar e autoestima.

"A criança tem obesidade. Por conta da doença ela sofre bullying. Isso afeta a autoestima da criança e provoca um isolamento. E tem uma repercussão inclusive no comportamento alimentar. Aumenta a ansiedade, gera um estresse na criança que desencadeia no mecanismo do comer emocional, da compulsão, que acaba agravando mais a obesidade", alerta Cercato.

8. Como é feito o tratamento?

O tratamento inicial para crianças consiste em mudar os hábitos e estilo de vida: alimentação mais saudável e atividade física. Alguns medicamentos são aprovados para os adolescentes a partir dos 12 anos.

"Em casos muito extremos, pode-se fazer o uso de algum medicamento, mas a criança passa por uma avaliação adequada", explica a endocrinologista.

A cirurgia bariátrica é indicada para adolescentes com mais de 16 anos. "Em idades menores, somente em centros especializados e com uma avaliação multidisciplinar", alerta Cintia Cercato.


G1

Governo do Pará garantirá absorventes a mulheres vulneráveis

O ParáPaz será o responsável para a distribuição de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade e estudantes da rede pública.

Foto: Reprodução
Após o presidente Jair Bolsonaro vetar a distribuição gratuita de absorvente, o Governador do Pará, Helder Barbalho, informou, por meio das redes sociais, que os itens de higiene serão distribuídos às mulheres paraenses de baixa renda. 

Na manhã desta segunda-feira (11), Helder publicou em seu Twitter que o Governo do Pará vai distribuir absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade e estudantes da rede pública.

"O Estado tem compromisso em reduzir o desequilíbrio social e é nosso papel garantir a distribuição gratuita destes produtos", escreveu o governador no Twitter.

O ParáPaz, que já atua com projetos voltados para mulheres, será o responsável por essa distribuição.


DOL 

TSE inicia inspeção dos códigos-fonte das urnas eletrônicas para as eleições de 2022

Essa fase dura duas semanas e faz parte dos preparativos para o Teste Público de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação, que vai ocorrer em novembro.

Foto: Reprodução
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abriu nesta segunda-feira (11) a etapa de inspeção dos códigos-fonte das urnas eletrônicas para a eleição de 2022.

Essa fase dura duas semanas e faz parte dos preparativos para o Teste Público de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação, que vai ocorrer em novembro.

Ao todo, 39 pessoas se inscreveram para atuar na inspeção dos códigos-fonte – são os chamados “investigadores”. Entre as atividades que esses especialistas vão desempenhar está a elaboração de um “plano de ataque” às urnas eletrônicas.

Esse teste de ataque deve ser enviado ao TSE até o dia 25 de outubro. Em novembro, os mesmos investigadores retornarão à Justiça Eleitoral para executar o plano e tentar encontrar nas urnas alguma vulnerabilidade a ser corrigida.

De acordo com José de Melo Cruz, coordenador de sistemas eleitorais do TSE, essa etapa de testes servirá para mostrar “onde podemos melhorar”. “[É] Apenas o início do processo, que os senhores possam olhar o código fonte e depois fazer seus planos de ataque para que no evento principal os senhores possam nos atacar", disse Melo.

O coordenador também reforçou a segurança da urna e negou que o sistema eletrônico permita alguma alteração no resultado eleitoral. Ele disse que, se alguma fraude acontecesse, seria facilmente descoberta.

“Imaginar que a Justiça Eleitoral pode, a partir do momento da publicação do boletim da urna e na transmissão ou na totalização, alterar esse resultado, é admitir que todos os brasileiros que participam desse processo são tolos. Porque é uma fraude tola, uma fraude que qualquer pessoa, bastando procurar as partes, verifica a soma geral. Então, essa fraude que se fala na totalização e na transmissão [dos votos] é a fraude mais tola de todas e simplesmente inviável, porque ela seria descoberta facilmente”, afirmou.

Melo acrescentou ainda que a abertura do código-fonte não impõe riscos ao processo eleitoral. “Quanto mais você abre, mais transparência você consegue e evita a fraude. Porque se alguém falar alguma coisa errada, outras pessoas falarão a coisa certa. Combate-se a fraude não com segredo, mas com transparência”, disse.


G1

Publicidade

Responsive Full Width Ad